Últimas Notícias

Padre é preso em Mato Grosso por estupro contra dois garotos

 Após notícia da prisão preventiva desta quinta-feira repercutir em Sinop, outras duas vítimas procuraram a Polícia Civil para acusar o sacerdote Nelson Koch, de 54 anos.

Foto: Diocese de Sinop / Reprodução

Um padre de 54 anos  foi preso nesta quinta-feira (17), em Sinop, a 480 quilômetros de Cuiabá, pelos crimes de estupro, estupro de vulnerável e importunação sexual. A Polícia Civil de Mato Grosso cumpriu o mandado de prisão preventiva. Até o momento, constam no inquérito duas vítimas. No entanto, segundo o delegado Pablo Bonifácio Carneiro, conforme a notícia repercutiu, já apareceram mais duas, que devem ser ouvidas pela polícia nos próximos dias.

Segundo o jornal o Globo, agentes da Delegacia Especializada de Defesa da Mulher, Criança e Idoso (DEDMCAI) também cumpriram mandado de busca e apreensão domiciliar na chácara do sacerdote Nelson Koch, na zona rural de Sinop. A Polícia Civil representou ainda pelo afastamento do sigilo de dados e pela autorização de acesso e extração de dados contidos em dispositivos eletrônicos apreendidos na casa do suspeito.
"O celular dele foi apreendido e será encaminhado para perícia. Não tenho informação ainda (sobre o que há no aparelho), até porque ele foi resetado. A gente vai mandá-lo para perícia para tentar recuperar alguma coisa", afirmou Carneiro no início da noite desta quinta-feira. "O inquérito está em andamento ainda. Tem que ser concluído agora o prazo de 10 dias", completa.

Conforme apurado pelos investigadores, a mãe de uma vítima procurou o plantão da Polícia Civil e declarou que seu filho, de 15 anos, trabalha desde o ano passado na igreja liderada pelo religioso, a paróquia São Cristóvão, da Diocese Sagrado Coração de Jesus de Sinop, e teria sofrido abusos sexuais praticados em diferentes períodos. Tanto a mãe quanto o adolescente prestaram depoimentos. Segundo o relato da vítima, o investigado cometeu os supostos atos criminosos quando ele tinha 7, 13 e 15 anos.

Outro adolescente, de 17 anos, confirmou que o religioso teria, nos últimos três anos, praticado ato libidinoso sem seu consentimento.

Foi indicado também que o padre teria feito ameaças, ainda que de forma velada, dizendo ser uma pessoa de influência.

O bispo Dom Canísio Klaus se pronunciou sobre a prisão do padre Nelson Koch por meio de nota divulgada na página de Facebook da paróquia onde o investigado atuava, informando que o sacertode foi quem pediu o próprio afastamento da congregação pois não queria constranger a Igreja. Koch também mostrou-se "muito triste" pela situação.

 

Metro1

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
header ads