Últimas Notícias

Pastor investigado por estupro de menina de 11 anos é preso no interior do Tocantins

 




Investigado tem 43 anos e foi detido em Palmeirante durante cumprimento de mandado de prisão.


O pastor de uma igreja evangélica foi preso nesta quinta-feira (10) de fevereiro de 2022, em Palmeirante, na região norte do Tocantins, durante uma investigação de estupro de vulnerável. Segundo a Polícia Civil, ele tem 43 anos e teria praticado o crime em Arame, no interior do Maranhão contra uma menina de 11 anos. O caso foi em 2016.
A prisão aconteceu durante a Operação Resguardo, que atua no combate de crimes de violência contra a mulher. Os agentes da 3ª Delegacia Regional de Polícia Civil de Colinas localizaram o investigado depois que os policiais receberam um mandado de prisão emitido pelo Poder Judiciário do Maranhão.

A delegada Olodes Maria Oliveira Freitas, que comandou a operação na cidade, disse que o homem não ofereceu resistência ao ser detido. “A equipe de agentes de polícia da 3º DRPC de Colinas, ao tomar conhecimento do mandado de prisão, localizou o homem, identificado como pastor de uma igreja evangélica, e efetuou a prisão", disse.

Depois de preso, o acusado foi conduzido para a Central de Flagrantes de Colinas, onde fica à disposição da Justiça do Maranhão. A previsão é que ele seja transferido de estado nas próximas horas.

Operação Resguardo

A Operação Resguardo teve início na última segunda-feira (7) e foi deflagrada para combater crimes de violência contra a mulher, apurar denúncias, instaurar inquéritos policiais e cumprir mandados de prisão nos 26 Estados e no Distrito Federal.

Conforme a delegada Olodes Maria, o "o objetivo da ação é resguardar mulheres que se encontram em situação de risco de crimes contra a dignidade sexual". A previsão é que a operação seja encerrada no dia 8 de março de 2022, no Dia Internacional da Mulher.

A ação conjunta é coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), por meio da Secretaria de Operações Integradas (Seopi), em parceria com o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH).

A Secretaria de Segurança Pública informou que as denúncias de violência contra a mulher podem ser feitas por meio do Disque 180 e de canais locais, de forma anônima. "Qualquer pessoa pode acionar o serviço, que funciona diariamente, 24 horas, incluindo sábados, domingos e feriados. O serviço cadastra e encaminha os casos aos órgãos competentes. Além disso, as delegacias estaduais também receberão denúncias presenciais", informou a pasta.


fonte: TVAnhanguera

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

header ads