quinta-feira, 31 de outubro de 2019

Família de empresário assassinado por Iuri Sheik realiza “vaquinha” para pagar advogados; audiência será dia 11


[Família de empresário assassinado por Iuri Sheik realiza “vaquinha” para pagar advogados; audiência será dia 11]
  

Parentes de William Oliveira relataram ao PNotícias as expectativas que antecedem o julgamento

A família de William Oliveira, ex-sócio da banda Blackstyle, vive um verdadeiro drama desde que o empresário foi assassinado a tiros pelo empresário Iuri Sheik, em Santo Antônio de Jesus, interior da Bahia, no dia 23 de junho. Com dificuldades financeiras, parentes e amigos de William organizaram uma “vaquinha” online para conseguir arcar com os custos de logística do advogado da vítima. O objetivo é arrecadar R$ 2 mil até o dia 11 de novembro, data em que uma audiência vai definir se o caso será levado à júri popular ou não

No total, os familiares pretendem levantar o montante de R$ 10 mil para arcar com todos os custos do representante. Os advogados que acompanham o caso afirmam que a sessão será de suma importância, pois testemunhas do crime também serão ouvidas, o que pode trazer elementos novos ao caso.
Em entrevista ao PNotícias, Winie Ferreira, amiga de William, contou que um grupo no WhatsApp foi criado para que o caso não caia no esquecimento.
“O grupo, que reúne parentes e amigos, tem como objetivo a organização de passeatas, protestos, para que esse crime seja sempre lembrado. O que nos une é o senso de justiça. A morte prematura de Will não pode ser acomodado em números e gráficos como apenas uma estatística dos crimes de homicídio. Falo em nome de todos os amigos, que lutam para que a justiça seja feita. Ele não tinha maldade em seu coração e não via o mal em outras pessoas, por isso, foi uma vítima fácil para a maldade de Iuri, afinal um homem de bem não iria armado para uma festa”, falou.
A tristeza pela morte do rapaz tem abalado não só amigos, mas principalmente familiares próximos ao empresário. Em contato com o PNotícias, Nélia de Oliveira Vieira, mãe de William, desabafou sobe a dor de perder um filho, mas destacou a luta para que o caso tenha um desfecho favorável.
“Ele era o meu orgulho, um menino incrível. Amava suas três filhas. A mais nova tinha apenas um mês quando ele foi morto. Oro todos os dias pela justiça, meu filho era um homem de bem, trabalhador. Mas foi vítima de uma crueldade, foi morto covardemente. É muita revolta, muita dor saber que ele não voltará nunca mais. Irei lutar todos os dias da minha vida para que a justiça seja feita”, disse, emocionada. 
Eniele Nascimento, mãe de duas filhas de William, contou da falta que o pai faz para crianças e que, apesar da tristeza, elas estão sendo acompanhadas por profissionais: “ele era um pai incrível para minhas filhas, fazia todas as vontades delas. Eu brigava com ele por fazer tudo que elas queriam. A mais velha manda mensagem todos os dias para ele, na esperança dele responder, como sempre fazia. A mais nova fará aniversário mês que vem e falou que o único presente que ela queria era o papai de volta. Elas estão sendo acompanhadas por um psicólogo, pois sofrem muito com a ausência do pai", disse, ressaltando que “a missão é por justiça, farei isso para honrar o pai que ele era para minhas filhas.”
Interessados em contribuir para a arrecadação de verba que irá custear os gastos com os advogados de defesa da vítima, podem clicar aqui.





PNoticias

Nenhum comentário:

Postar um comentário