terça-feira, 21 de janeiro de 2020

'Acorda Amor': disco reúne baianas Xênia França e Luedji com Letrux, Gadu e Liniker

'Acorda Amor': disco reúne baianas Xênia França e Luedji com Letrux, Gadu e Liniker
Após se materializar como um baile de carnaval, o projeto "Acorda Amor", protagonizado há dois anos pelo quinteto Maria Gadu, Liniker, Xênia França, Letrux e Luedji Luna, vai estrear como um disco. O álbum sai esse mês e o lançamento acontece nos dias 31 de janeiro, 1 e 2 de fevereiro, no Sesc Pompeia, em São Paulo.

Nomeado em referência a uma música homônima de Chico Buarque que fala sobre uma fuga apressada de alguém perseguido pela repressão da Ditadura Militar vigente no Brasil de 1974 - quando o disco "Sinal Fechado", que tinha a música, foi lançado -, a parceria das cinco mulheres surgiu, segundo a jornalista Roberta Martinelli, diretora artística do projeto, para, além "de celebrar o encontro de vários intérpretes, também tivesse um visão crítica sobre o momento, através da música". "Começamos a falar sobre tudo que o Brasil estava passando e resolvemos cantar essas questões”, conta.

A escolha do local de estreia é emblemática para a trajetória do grupo. Foi no Sesc Pompéia que tudo começou, em 2018. “Naquele momento o país estava sendo (des)governado por Michel Temer e não havia motivação para fazer um baile de carnaval”, lembra para a revista Trip o músico Décio 7, que assina a direção musical e a produção do disco.

“O baile deixou de ser de carnaval e o repertório político entrou em seu lugar. Cada dia um grito era sufocado e a ideia foi juntar esses gritos no palco em um show”, explica Roberta Martinelli, confessando que a combinação das vozes exclusivamente de mulheres não foi cogitada originalmente.

Dentre as músicas que fazem parte do repertório estão canções de Erasmo Carlos (“Gente aberta”, única música que reúne as cinco cantoras), Gonzaguinha (“Comportamento geral”), Di Melo (“A vida em seus métodos diz calma”), Belchior (“Sujeito de sorte”) e Leci Brandão (“Assumindo”), além de faixas contemporâneas de Douglas Germano e Francisco El Hombre e um poema inédito de Edgar, “Sem preguiça para fazer a revolução”, interpretado por ele mesmo.

As faixas de "Acorda Amor" já começam a ser reveladas nesta segunda-feira (20), com Luedji Luna cantando “Extra”, de Gilberto Gil. Até sexta-feira (24) outros singles de apresentação serão lançados por cada intérprete, na terça tem “Não adianta”, do Trio Mocotó, na voz de Liniker; na quarta, Xênia França canta “Deixa eu dizer”, de Ivan Lins, eternizada por Claudia; na quinta-feira, Letrux defende “Saúde”, de Rita Lee, e, finalmente, na sexta-feira, Maria Gadu mostra sua versão para “Nuvem cigana”, de Lô Borges e Ronaldo Bastos. A capa é de Pedro Inoue.

Para a soteropolitana Luedji, “Acorda Amor é um grito!”. “As pessoas estão cegas pelo ódio, ódio que foi um dos assentamentos na construção da sociedade brasileira, que nos atravessa. É preciso que a gente assuma esse fato. Acho que o projeto nos ilumina para o amor", defende.

Confira a primeira faixa lançada:

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário