sábado, 20 de junho de 2020

Senhora que vivia em acampamento pró-intervenção militar morre de Covid-19 em SP

Mulher de 72 anos que vivia em acampamento pró-intervenção militar morre de Covid-19 em SP
Geni Francisca de Mello, de 72 anos,  deixou a própria casa e foi morar em uma barraca  de um acampamento pró-intervenção militar, montado em frente a um quartel do Exército em São Paulo. 

No começo de maio, a ativista, que assumiu a missão de cozinhar para os cinco integrantes fixos do acampamento, começou a apresentar sintomas como mal estar, tosse e redução da capacidade física. Apesar da insistência, Geni recusou por três o convite de uma amiga para passar a noite em sua casa e procurar ajuda médica. 


Somente quando apresentou agravamento dos sintomas Geni aceitou ajuda médica. Foi diagnosticada com a Covid-19 e passou 33 dias em internamento antes de falecer, diz reportagem do UOL. 



A amiga que conduziu a militante ao hospital teve dificuldade no acesso às informações da paciente, já que não possuía laços sanguíneos. Após ir à unidade hospitalar com outros membros do acampamento, descobriram que Geni estava intubada e apresentava quadro grave da doença. 



Também soube que não estavam administrando a cloroquina no tratamento de Geni por não haver familiar para assinar a documentação, uma exigência do hospital. Foi explicado aos médicos e enfermeiros que a cozinheira não tinha parentes. Coube à pessoa que levou Geni ao hospital assinar a papelada. 


Foto: Reproduçã/UOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário