sábado, 20 de junho de 2020

Valentina Sampaio sobre ser modelo trans: “Dei de cara com o preconceito”

-

Valentina Sampaio para Victoria's Secret (Victoria's Secret/JOY Model/Divulgação)
Valentina Sampaio nasceu em Aquiraz, pequeno município de pescadores no litoral do Ceará, e, atualmente, aos 23 anos, é modelo e está fazendo história no mundo da moda. A brasileira, que é representada pela JOY Model, foi a primeira top model trans a aparecer na capa da Vogue Paris e também a participar do casting da gigante de lingerie Victoria’s Secret. Apesar das enormes conquistas, em entrevista à CAPRICHO ela revelou que sua trajetória foi composta de grandes desafios.
Desde o início não foi fácil e nem motivador, porque dei de cara com o preconceito, mas não desisti. Vi que era uma forma de lutar por mim e por outras pessoas que, assim como eu, sofrem preconceito por serem quem são”, conta.
“O caminho é árduo, mas sou persistente e tenho motivos para lutar. Hoje, sofrer preconceito ainda é um preço alto que se paga por ser quem você é, por não se encaixar nos padrões que lhe são impostos. A cada barreira que surgia, eu passava por cima. Acho que isso me tornou mais forte e mais madura”, completa.
Valentina Sampaio na capa da Vogue Paris de março de 2017 (Vogue Paris/JOY Model/Divulgação)
O interesse pela carreira de modelo veio quando cursava faculdade de moda, em Fortaleza, aos 18 anos, e surgiram alguns trabalhos. “Eu sempre fui apaixonada pelo universo fashion e por arte. Trabalhar com isso era um grande sonho, porém não esperava que fosse acontecer. Após embarcar para São Paulo, tudo começou a se desenrolar muito rápido.”
Para ela, ser a primeira modelo trans da Victoria’s Secret é uma vitória. “Representa muito! A sociedade e as empresas vem aprendendo muito sobre a importância de abraçarem as diferenças e respeitarem a diversidade. É um processo de evolução. Se já estivemos marginalizadas algum dia na sociedade, agora estamos conquistando novos espaços. Não precisamos mais viver escondidas. Estamos na capa das revistas e agora na Victoria’s Secret. Só tenho a comemorar por esse momento, é uma nova conquista.”
Nos desfiles, Valentina sente que cada trabalho é uma oportunidade única e especial. “Procuro estar sempre focada para dar o meu melhor em todos eles. Fico muito grata por cada oportunidade, por cada um que me vê como ser humano, que me valoriza pela profissional que sou e que apoia a diversidade.” E, nas semanas de moda, a correria é, sim, uma realidade! “Costumo dizer que não tenho rotina, porque cada dia é diferente do outro, é uma profissão onde você precisa estar pronta para passar cada dia em um lugar. O que é mais rotineiro são os cuidados com a saúde: tento praticar exercícios todos os dias e me alimentar bem e de forma saudável para estar sempre cheia de energia.”
Se você é uma pessoa transgênero, Valentina tem um conselho poderoso: “Tenha força e foco, e acredite em si. Seja você mesma! Sou uma pessoa de sorte por estar aqui, podendo dar voz à causa de tantas, e pelo caminho que percorri. A realidade da maioria de nós trans é ainda mais difícil.”
É muito importante que pessoas trans sejam cada vez mais reconhecidos e valorizados em todas as áreas. “É uma forma de inclusão e de se conquistar respeito! Estar integrada, não somente na moda, mas em todas as partes da sociedade, em qualquer carreira que seja, faz com que nossa existência seja vista, e não sejamos invisibilizadas.” (Capricho)

Nenhum comentário:

Postar um comentário