segunda-feira, 17 de agosto de 2020

Itália volta a fechar boates e torna uso de máscara obrigatório à noite

Itália volta a fechar boates e torna uso de máscara obrigatório à noite
O governo italiano anunciou, neste domingo (16), novas medidas para evitar um repique de contaminações pelo novo coronavírus no país.

O ministro da Saúde, Roberto Speranza, assinou um decreto que entrará em vigor na segunda-feira (17) tornando obrigatório o uso de máscara entre 18h e 6h em locais públicos próximos a bares e locais onde costumam haver aglomerações.

O decreto também suspende o funcionamento de boates ao ar livre –casas de festa em espaços fechados não haviam sido autorizadas a retomar as atividades.

"Não podemos anular os sacrifícios feitos nos últimos meses", disse Speranza em mensagem no Facebook. "Nossa prioridade deve ser abrir escolas em setembro", completou.

A medida permanecerá em vigor ao menos até 7 de setembro e foi anunciada após várias divergências entre o governo federal e autoridades regionais sobre as restrições que deveriam ser aplicadas no setor de lazer noturno, que emprega quase 50 mil pessoas.

A indústria noturna no país gera receitas anuais de aproximadamente 4 bilhões de euros (R$ 25,5 bilhões) segundo o grupo de lobby do setor Silb.

Atendendo a pedidos de apoio, o governo havia aberto as boates apesar das críticas de que elas atrairiam grandes públicos e de que o distanciamento social e o uso de máscaras não seriam respeitados.

A nova decisão foi tomada durante o chamado "Ferragosto", fim de semana em que tradicionalmente há muitas festas no país.

A imprensa publicou nos últimos dias imagens de vários grupos de jovens dançando em discotecas ao ar livre, ignorando as advertências das autoridades de saúde.

No fim de semana anterior imagens de festas no país europeu também circularam no Brasil. Em sua página, a cantora Anitta publicou diversas imagens de um show que fez na Itália.

Com a repercussão, deputados do PSL criticaram a artista brasileira, a quem chamaram de hipócrita. O presidente, Jair Bolsonaro (sem partido) curtiu os comentários.

É a primeira vez que a Itália, o primeiro país duramente atingido pela doença na Europa, endurece medidas de restrição, após a reabertura.

O decreto vem no momento em que os números de novos casos de Covid-19 voltaram a subir no país, especialmente entre os jovens.

Na última semana, o número de novas contaminações dobrou em relação aos registrado três semanas antes. A idade média dos infectados caiu para abaixo de 40.

A Itália registra 253.915 contágios e mais de 35.396 mortes por Covid-19, de acordo com levantamento da Universidade Johns Hopkins.

Nenhum comentário:

Postar um comentário