terça-feira, 1 de setembro de 2020

Transplantes de órgãos despencam durante pandemia; infecção por Covid impediu doações

Transplantes de órgãos despencam durante pandemia; infecção por Covid impediu doações
Foto: Divulgação
Setembro Verde é o mês da doação de órgãos. A cor escolhida representa a esperança, sentimento mais presente entre aqueles que estão na fila para receber um transplante que pode mudar o rumo de suas vidas. Esse sentimento, no entanto, tem sido prejudicado pelos efeitos da pandemia do novo coronavírus. 

De acordo com dados disponibilizados pela Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab), o número total de transplantes de órgãos reduziu de 692 em 2019 para 416 em 2020, se analisados os sete primeiros meses de cada ano. 

A Bahia foi um dos poucos estados que não parou de realizar transplantes, apesar de ter reduzido a atividade em razão da pandemia. E um dos principais problemas, segundo a coordenadora do Sistema Estadual de Transplantes, Rita Pedrosa, tem sido o índice de doadores que testam positivo para a Covid-19. “Temos que fazer o PCR antes da cirurgia. Tem que ser 48 horas antes. E há um percentual grande de Covid positivo. Então a família doa, aceita, e aí a gente vai fazer o Covid, e não pode mais doar. Eu não vi nenhum receptor dizendo que tava inseguro por causa do exame”, afirmou a coordenadora.

BN

Nenhum comentário:

Postar um comentário