sábado, 7 de novembro de 2020

Conquista: Advogado é preso acusado de se apropriar de valores de clientes

Conquista: Advogado é preso acusado de se apropriar de valores de clientes

Um advogado foragido foi preso nesta quinta-feira (5) em Vitória da Conquista, no sudoeste. Carlos Humberto Ramos Lauton era considerado foragido. Policiais civis da 10ª Coorpin cumpriram o mandado de prisão preventiva quando o localizaram no condomínio Green Ville. Carlos Humberto é acusado de apropriação indébita de valores de clientes após ações ganhas na Justiça. Segundo ação de 2017 do Ministério Público do Estado (MP-BA), o advogado se apropriou indevidamente de R$ 3,3 mil pertencentes a um cliente idoso.

 

De acordo com a denúncia, em 28 de abril de 2014, o advogado foi a uma agência do Banco do Brasil na capital baiana e efetuou o levante do alvará judicial após vitória em uma ação contra a Telemar. À época, o advogado alegou que 20% era devido a ele por causa dos honorários advocatícios e outros 20% por previsão no contrato. Após insistência da vítima, ele devolveu R$ 1 mil, prometendo que quitaria posteriormente o restante da dívida, o que não aconteceu. O MP pediu a condenação pelo crime de apropriação indébita, com pena aumentada de um terço por conta do fato ocorrer no exercício da profissão. Com isso, foi decretada a prisão preventiva em razão de revelia do réu em 13 de fevereiro de 2019.

 

Ainda segundo a acusação, Carlos Humberto responde a mais de 20 processos, sendo, ao menos, dez deles por apropriação indébita, em casos semelhantes ao que deu origem ao cumprimento do mandado de prisão preventiva contra ele. Há casos em que a vítima não recorre ao MP-BA, buscando a Justiça por meio de advogado particular. Em uma delas, uma idosa ingressou com uma “ação de prestação de contas” contra o advogado.

 

A acusação é que ele teria se apropriado de uma quantia, através de alvará, oriunda de causa ganha contra a Telemar. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário