segunda-feira, 9 de novembro de 2020

Trump bloqueia acesso da equipe de Biden a dados e recursos para iniciar transição

 

Trump bloqueia acesso da equipe de Biden a dados e recursos para iniciar transição
Foto: Reprodução/CNN



O governo Donald Trump bloqueou o acesso da equipe do presidente eleito, Jor Biden, a informações e recursos para que inicie a transição do comando da Casa Branca.  

 

O time de Trump, de acordo com a Folha, se recusa a assinar, como é de praxe, uma carta oficial que permite ao democrata iniciar formalmente a transição após ter sido declarado vencedor da disputa presidencial. A chancela seria um reconhecimento da vitória do democrata, o que Trump se recusa a fazer.

 

Nos EUA, assim que um novo presidente é eleito, a Administração de Serviços Gerais (GSA) autoriza de maneira formal o início da transição. A agência assina uma carta que libera recursos para pagamento de salários e apoio administrativo aos novos funcionários, além do acesso à burocracia americana. Neste ano, o valor total é estimado em US$ 9,9 milhões (R$ 52,97 milhões).

 

O processo funciona assim desde 1963, quando a Lei de Transição Presidencial foi promulgada e, até agora, começava sempre horas ou dias depois de um novo presidente ser declarado eleito.

 

A equipe de Biden já recebeu autorização para estabelecer um escritório de transição na sede do Departamento de Comércio, em Washington, mas todos os outros acessos e recursos para iniciar formalmente o trabalho dependem da carta assinada pela GSA.

 

Caso o impasse se prolongue por mais tempo, esta seria a primeira vez que uma transição sofre esse tipo de atraso na história moderna dos EUA, com exceção a 2000, quando a disputa entre George W. Bush e Al Gore foi decidida na Suprema Corte, que interrompeu a recontagem de votos na Flórida.

 

A equipe de transição é geralmente composta por quadros técnicos, e não políticos, e pode ter acesso, inclusive, a informações confidenciais do governo incumbente. Dessa forma, a nova equipe ganha acesso aos prédios do governo, aos sistemas de computador, endereço de e-mail e já começa a trabalhar com o time em exercício, que transmite prioridades, projetos e riscos de cada agência oficial americana.

 

Trump não reconheceu a derrota e insiste, sem apresentar provas, que a eleição foi fraudada. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário