terça-feira, 22 de dezembro de 2020

SAJ: Produtores culturais criticam resultado da seleção que regulamenta destinação dos recursos provenientes da Lei Aldir Blanc

 

 

A Prefeitura de Santo Antônio de Jesus, através da Secretaria de Cultura, Turismo e Juventude, realizou inscrições para os editais que regulamentam a destinação de recursos provenientes da Lei Federal nº 14.017/2020, a Lei Aldir Blanc.

A verba total é de R$ 723 mil (setecentos e vinte e três mil reais) distribuídos entre os quatro editais de ações emergenciais direcionadas ao setor cultural: Subsídios para Espaços Culturais, Premiação de Artistas ou Agentes Culturais e Fomento em todas as áreas da Cultura.

Em entrevista ao Programa do Valente desta terça-feira (22), o produtor cultural Adão Andrade fez algumas críticas ao resultado da seleção. Inclusive, ele entrou com recurso para a secretária de Cultura, Denny Côrtes, explicar porque o grupo AG8 SAJ ter sido comtemplado pelo edital, já que, segundo Adão, não preenchia os pré-requisitos solicitados no edital, pois também foi fundador do grupo em 2009. “Eu sei que o grupo AG8 SAJ está desativado há algum tempo e o edital exige que para ser contemplado tem de estar em atividade há pelo menos dois anos. E o AG8 SAJ passou no critério espaço cultural”, criticou.

Segundo ele, o grupo, atualmente, existe somente no papel. Para Adão Andrade, faltou maior divulgação dos editais. “Eram para ser contemplados 44 espaços culturais, apenas 10 se inscreveram. Claro, os 10 passaram, explicou.

Guto Leal, empresário e produtor Cultural, também não concordou com alguns pontos do edital. Para ele, artistas de diferentes áreas culturais deveriam ser contemplados nos editais. “Teve em 5 áreas pelo menos, mas deveria ser em mais áreas”, opinou.

O empresário criticou o atraso na divulgação do resultado da seleção.

Adão Andrade sugere a impugnação do edital, para que outras grupos tenham oportunidade de participar

Nenhum comentário:

Postar um comentário