terça-feira, 16 de março de 2021

Após 1 ano de medidas restritivas, Cajazeiras lidera solicitações na Ouvidoria de Salvador

Após 1 ano de medidas restritivas, Cajazeiras lidera solicitações na Ouvidoria de Salvador

Esta terça-feira (16) marca um ano do início das medidas restritivas em Salvador. E, desde que ACM Neto (DEM) assinou os primeiros decretos para conter o avanço da Covid-19, milhares de solicitações feitas por soteropolitanos se acumularam na Ouvidoria da capital baiana.



 

De acordo com o órgão, somente neste período, foram recebidas 312.573 relacionadas ao novo coronavírus, das quais 11.868 vieram somente de Cajazeiras, líder absoluto no quesito.

 

Completam o pódio dos locais com mais demandas solicitadas Pernambués (8.260) e Itapuã (7.389). Curiosamente, o bairro com o maior número de casos confirmados em Salvador, a Pituba, não figura entre os 10 locais da cidade com o maior número de ações pleiteadas junto à prefeitura.

 

Ainda segundo os dados fornecidos pelo município, 30.85% se referem a pedidos de fiscalização de poluição sonora e aglomerações; 24,72% versam sobre pedido de pagamento ou entrega de cestas básicas via programa Salvador por Todos; 16,52% sobre orientações sobre sintomas, informações sobre funcionamento das unidades de saúde, testes rápidos, e vacinação; e 13,64% relacionadas a fiscalização de atividades irregulares, como bares, estabelecimentos comerciais, igrejas, escolas e faculdades.

 

NA OUTRA PONTA DA LISTA
Se Cajazeiras, Pernambués e Itapuã estão no topo da lista, há bairros que, percentualmente, estão no final da fila de demandas solicitadas. São eles: Ilhas, Itinga, Aphaville I e II, Areia Branca, Porto Seco Pirajá, Horto Bela Vista, Jaguaribe, CAB, Jardim Placaford, Barroquinha, Água de Meninos, Horto Florestal e Chame-chame.

 

NÚMEROS GERAIS

Segundo a prefeitura, contudo, as demandas gerais relacionadas à pandemia não se referem necessariamente a denúncias. No total, 60,75% são sobre informações ou orientações; 25,75% se referem a solicitação de serviços; 11,71% se referem a denúncias. 

 

Há ainda demandas relacionadas a reclamação (1,43%), sugestão (0,28%), elogio (0,07%) e Lei de Acesso à Informação (0,01%).

 

INÍCIO DAS MEDIDAS

No dia 14 de março do ano passado, o ex-prefeito ACM Neto anunciou as primeiras medidas para conter a disseminação do vírus. Como primeiro ato, ele determinou, à época, a proibição de eventos ou atividades para mais de 500 pessoas (leia mais aqui). 

 

Atualmente, segundo o site da prefeitura, está em vigor o decreto que limita em até 50 pessoas “eventos que causem aglomeração, desde que mantida a distância mínima de 2 metros entre as pessoas.”


Foto: Jefferson Peixoto / Secom / Mateus Caldas car Priscila Melo

Nenhum comentário:

Postar um comentário