segunda-feira, 5 de abril de 2021

Índia registra recorde de novos casos de Covid-19

[Índia registra recorde de novos casos de Covid-19]
Foto : Adnan Abidi/Reuters


Em meio a uma segunda onda de Covid-19, os desafios envolvidos em vacinar o segundo país mais populoso do mundo durante a circulação de novas variantes são imensos. A Índia registrou, nesta segunda-feira (5), um novo recorde de novos casos: 103.558. O país se tornou o segundo a ultrapassar a marca de 100 mil novos infectados em um único dia. Até então, só os Estados Unidos tinham atingido a marca.

As infecções diárias já cresceram cerca de 12 vezes desde que atingiu um pico de baixa no início de fevereiro (cerca de 9 mil), quando as autoridades abrandaram a maioria das restrições e as pessoas pararam de usar máscaras e de seguir o distanciamento social. No dia 24 de março, o Ministério da Saúde do país anunciou a detecção de uma "nova variante dupla mutante" do coronavírus, que ainda não foi catalogada, além do maior número de novos casos de Covid-19 desde novembro (47.262). A alta nas novas infecções ocorre em meio ao festival da primavera e à organização de grandes comícios eleitorais, que aumentam ainda mais o temor da disseminação do vírus. 

Hospitais no estado mais rico e mais afetado da Índia, Maharashtra, estão sendo invadidos por pacientes, segundo a agência de notícias Reuters. O estado, cuja capital comercial é Mumbai, registrou um recorde de novos casos (57.074) e foi responsável por mais da metade de todos os novos infectados do país (55%). Em resposta ao aumento do número de casos, o governo de Maharashtra anunciou no domingo (4) toque de recolher noturno para seus 110 milhões de habitantes até o fim do abril e diversas medidas de restrição. A região também proibiu reuniões de mais de quatro pessoas e fechou escritórios, restaurantes, cinemas, piscinas, bares, igrejas e templos e locais públicos, como praias, além de impor um lockdown nos fins de semana.

Com mais de 12,5 milhões infectados e 165 mil óbitos, a Índia é o terceiro país com mais casos confirmados, atrás apenas de EUA e Brasil, e o quarto com mais mortos, atrás também do México. O país é o maior produtor e exportador mundial de vacinas, mas encontra desafios para imunizar seu 1,3 bilhão de habitantes, a segunda maior população do planeta depois da China (1,4 bilhão). Em meio à pressão da oposição, o governo indiano está segurando a exportação de vacinas contra a Covid-19 para acelerar a vacinação no país e expandiu a campanha de vacinação para incluir todos os adultos com mais de 45 anos de idade. 

A Índia já aplicou mais de 75 milhões de doses, atrás apenas de EUA (161 milhões) e China (133 milhões), segundo o Our World in Data, projeto ligado à Universidade de Oxford. O país é também o terceiro em vacinas aplicadas por dia (média de 2,24 milhões na última semana), também atrás de China (5,19 milhões) e EUA (3,07 milhões). Mesmo assim, a Índia tem uma vacinação proporcional à população ainda pequena (5,51 doses a cada 100 habitantes), atrás da média mundial (8,33) e de outros países dos Brics, como Rússia (8,25), China (9,30) e Brasil (9,86).



Metro1 

Nenhum comentário:

Postar um comentário