OLIMPÍADAS


quinta-feira, 29 de abril de 2021

TERROR NO METRÔ: Mulher é assassinada a marretadas, em ataque de maníaco


 Uma passageira morreu após um homem agredi-la com golpes de marreta na cabeça dentro de um dos vagões da Linha 1-Azul do Metrô, quando a composição estava na estação Sé, no Centro de São Paulo. O crime ocorreu na madrugada de segunda-feira (26). O agressor foi preso em flagrante e internado num hospital, segundo a assessoria de imprensa da Secretaria da Segurança Pública (SSP). Ele foi espancado por outros passageiros revoltados com o caso.

Ainda de acordo com a pasta da Segurança, a vítima também chegou a ser socorrida e levada a um hospital, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no mesmo dia. Ela tinha 46 anos. A página SP Sobre Trilhos publicou em seu Twitter duas fotos que mostram a passageira caída dentro do vagão. Ela aparece deitada e sangrando, enquanto é observada por dois seguranças e uma outra pessoa (veja fotos acima e abaixo).

O passageiro suspeito de agredir a mulher foi detido por seguranças, segundo a comunicação do Metrô. Ele é um aposentado de 55 anos e, de acordo com funcionários ouvidos pelo G1, teria tido um surto psicótico e atacado a mulher. O suspeito estava armado com uma marreta e uma faca, segundo as testemunhas, que relataram ter ouvido gritaria e visto correria entre os passageiros.

“A marretada usada e uma faca de cozinha foram apreendidas. O homem disse aos agentes que toma remédio e ouviu vozes”, informa trecho da nota sobre o caso enviada ao G1 pela assessoria da Secretaria da Segurança Pública.

O homem foi internado num hospital com escolta policial, pois ficou ferido após apanhar de outros passageiros que se revoltaram com a situação. Ele e a vítima não se conheciam, segundo testemunhas.

“Uma das testemunhas contou que o aposentado estava em pé e de repente, armado com uma marreta, foi para cima da vítima, que estava sentada”, informa o comunicado da pasta da Segurança.

Os nomes dos envolvidos no caso não foram divulgados pelo Metrô ou pela Secretaria da Segurança. De acordo com a pasta, a Polícia Civil vai investigar as causas e eventuais responsabilidades pelo assassinato. Segundo a assessoria do Tribunal de Justiça do estado de São Paulo, a prisão em flagrante do aposentado foi convertida em prisão preventiva.

O crime foi registrado como homicídio na Delegacia do Metropolitano (Delpom), na Barra Funda, Zona Oeste da capital. A investigação vai requisitar câmeras de segurança ao Metrô para saber se elas gravaram o crime. Depois ouvirá testemunhas e interrogará o suspeito.

O crime

O crime ocorreu entre 5h07 e 5h16, segundo o Metrô. Durante esse período, a circulação da composição, que iria da Sé ao Tucuruvi, foi interrompida para que a passageira fosse atendida. A Linha 1-Azul compreende o trecho definido pelas estações Tucuruvi e Jabaquara.

De acordo com o Metrô, a mulher foi socorrida por funcionários e levada ao Pronto-Socorro da Santa Casa de Misericórdia, também na região central. Segundo o hospital, “a paciente deu entrada com traumatismo craniano e evoluiu a óbito”.

O agressor também foi levado ferido para a Santa Casa. “O paciente está em observação no Pronto-Socorro. Sem indicação de cirurgia”, informa a nota do hospital.

“O autor foi autuado em flagrante e segue internado, sob escolta policial. Assim que tiver alta, será encaminhado à unidade policial para posterior encaminhamento ao sistema carcerário”, informa a Secretaria da Segurança.
Nesta terça-feira (27), o Metrô enviou nota ao G1 para lamentar o ocorrido.

“O Metrô repudia qualquer ato de violência e pede aos passageiros que denunciem ações inadequadas e comportamentos suspeitos a um funcionário ou pelo SMS-Denuncia (11 97333-2252) ou pelo aplicativo METRÔ CONECTA. O SMS-Denuncia e o aplicativo METRÔ CONECTA garantem total anonimato aos denunciantes”, informa trecho do comunicado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário