OLIMPÍADAS



sábado, 5 de junho de 2021

Anvisa autoriza importação de Sputnik V e Covaxin; Gerente geral de medicamentos da Anvisa, Gustavo Mendes não atesta qualidade, eficácia e segurança dos imunizantes



Anvisa autoriza importação de Sputnik V e Covaxin; uso requer condições controladas

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) permitiu a importação da vacina russa Sputnik V e da indiana Covaxin, nesta sexta-feira (4) . Os diretores e especialistas do órgão apontaram que as aplicações devem ser feitas de modo controlado, limitado a "pessoas saudáveis", entre 18 e 60 anos. A reunião teve apresentação de áreas técnicas, onde foram descritos os motivos da decisão. 

 

Alex Machado Campos, diretor da Diretoria 5 da Anvisa, relator das análises, comentou o momento atual da pandemia no Brasil, que, segundo ele, é "dramático".  Alex também condicionou a necessidade de termos compromisso com as condicionantes para importações das vacinas.

 

Já de acordo com o gerente geral de medicamentos da Anvisa, Gustavo Mendes, é preciso que haja condições controladas de uso, pelos estados que estão solicitando. As informações também devem estar em rótulos e bulas em português, além de erros de trocas de componentes da vacina. Caso a Anvisa ou a OMS reprove o uso emergencial da vacina, a importação será suspensa. Os estados devem comunicar à sociedade que a Anvisa não atesta a vacina. 

 

Entre as condicionantes, que buscam minimizar o risco, estão: a vacina só seja distribuída com estudos de efetividades, os lotes que venham para o Brasil tem que ser proveniente de plantas inspecionadas pela Anvisa, os lotes aprovados tem que ser aprovados pelo INCQS e demonstrem ausência de adenovírus replicante. Além disso, não poderão usar a vacina pessoas com hipersensibilidade: grávidas, lactantes, pessoas que tenham tomado outra vacina, imunossupressos, quem faz quimioterapia, entre outros. 

 

Mendes afirmou também que a Anvisa não atesta qualidade, eficácia e segurança dos imunizantes Covaxin, da Índia, e Sputnik V, da Rússia.

 

O secretário de saúde da Bahia, Fábio Vilas Boas, comemorou a decisão. "Finalmente, a importação excepcional e temporária da vacina Sputnik, ainda que milhares de mortes evitáveis tivessem que ocorrer para tanto. Vitória do governador Rui Costa e do povo nordestino", comentou.


Editado por PIRÔPO NEWS - INFORMAÇÕES : M1 

Nenhum comentário:

Postar um comentário