domingo, 6 de junho de 2021

Bancários fazem carreata e pedem inclusão da categoria em prioridades da vacinação


Bancários fazem carreata e pedem inclusão da categoria em prioridades da vacinação

Em dia de mobilização para inclusão da categoria nos grupos prioritários da vacinação contra a Covid-19, os bancários de Salvador realizaram uma carreata na manhã deste sábado (5). O grupo saiu do Vale do Canela em direção ao bairro Imbuí. O ato foi liderado pelo presidente da representação sindical da categoria na Bahia, o vereador pelo PCdoB, Augusto Vasconcelos. 

 

O Sindicato atua há meses pela inclusão dos trabalhadores no grupo prioritário. Em um documento encaminhado ao secretário da Saúde  do Estado da Bahia, Fábio Vilas-Boas, a Federação dos Bancários da Bahia e Sergipe e o Sindicato dos Bancários da Bahia afirmam que a vacinação da categoria bancária é fundamental para enfrentar a pandemia. 

 

Segundo as entidades, “não o há explicação para que a categoria bancária, considerada essencial, tenha sido excluída da vacinação. No centro das atividades que mantêm o funcionamento da economia, os bancários não pararam durante a pandemia e estão totalmente expostos, na linha de frente dos atendimentos à população”. 
Uma pesquisa realizada pelo Sindicato dos Bancários da Bahia identificou que 67,71% dos bancários atendem diretamente o público. Destes, quase 30% já testaram positivo para Covid-19, conclui o relatório. 

 

“A situação é extremamente preocupante, na medida em que o fato de não garantir a vacinação dos bancários configura um fator que, na prática, sabota todas as medidas de contenção da propagação do vírus adotadas pelo Governo do Estado. No que pese, a mesma pesquisa do Sindicato, revelar que 77% das unidades de atendimento bancário terem adotado os protocolos sanitários de prevenção ao Coronavírus”, diz o documento. 

 

“O levantamento do Dieese aponta também que, entre abril de 2020 a março de 2021, ocorreu o falecimento de 418 trabalhadores da categoria, sendo que 69,8% deles de três ocupações que, em sua maioria, tinham de trabalhar presencialmente: escriturário, caixa e gerente de conta. Embora o Caged não especifique as causas das mortes, é lógico deduzir que esse aumento está relacionado com os óbitos de bancários por Covid-19, única variante de impacto nesse espaço de tempo”, descreve as representações sindicais ao justificar o pedido. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário