OLIMPÍADAS


quinta-feira, 1 de julho de 2021

BAHIA: CARTA ABERTA AO POVO DE NAZARÉ



Caro povo nazareno, 

Recordo-me de uma época, não tão longínqua, na qual esse nobre município era governado por uma figura que malmente dava as caras na prefeitura, uma pessoa que sequer cuidava da cidade, um gestor que teve de ser obrigado judicialmente a trocar a Feira de Abastecimentos, qual era um lixo, um perigo a saúde pública. Uma época na qual os munícipes conviviam com uma cidade suja, sem futuro, sem esperança e com um gestor extremamente rude com a população. 

Nazaré, através desse grupo político apenas fez regredir, uma cidade tão garbosa, como entoa em seu belíssimo hino, via seus filhos cada vez mais indo embora e tendo cada vez menos o prazer e orgulho de ser nazareno. As ruas eram abandonadas, cheias de lama, faltava calçamento, limpeza, trabalho, estudo... faltava liderança. Faltava amor ao município. Quantas praças foram feitas e... só? Praças históricas destruídas apenas para dizer que fez algo. Faltava liderança!

É bem recordável, também, que nunca fora feita nenhuma obra de inspeção nas pontes que hoje pedem socorro, é verdade, mas em 8 (oito) anos, incluindo a enchente de 2009, estavam jogadas a própria sorte. Pensando bem... não só as pontes, pois a passarela, recém-inaugurada, é um símbolo que marca esse tempo tão sombrio. 

Há 5 (cinco) anos, Eunice Soares Barreto Peixoto, foi eleita prefeita de Nazaré, após 3 (três) tentativas. Ora bolas, era um triunfo ter uma mulher na liderança do município e ver a mudança como esperança no horizonte. Uma chave estava sendo virada, mesmo em meio há maior crise econômica do país em décadas. E o trabalho começou forte. Muitas mudanças, principalmente na forma como se dirigir aos seus munícipes, como atender, ouvir, ajudar e amparar. 

Foi nessa gestão que pude assistir geração de empregos, calçamentos, obras em todo canto, limpeza urbana organizada, uma gestão forte em um momento fraco para o país. Mesmo com a economia nacional em declínio, não houve obstinação para brigar por uma Nazaré mais bonita, com geração de emprego e renda. 

Foi aqui que eu assisti uma crise sanitária sem precedentes assolar o país, destruir vidas, mas uma gestora empenhada em caminhar para o progresso, investir na saúde para os munícipes e não abandonar os outros compromissos firmados. Quando, enfim, chegou a vacina, vejo a cidade em um ritmo acelerado de trabalho para conseguir imunizar sua população, pois “quem ama cuida” essa frase eu já ouvi da própria gestora. 

Amar um município, gerar emprego e renda na maior crise sanitária e econômica em séculos, fazer obras, manter tudo limpo, cuidar da saúde, educação, ir atrás de verbas, passar dias a fio trabalhando para resolver pendências, ir atrás das mudanças e mirar no horizonte a esperança de dias melhores. O compromisso era “para fazer muito mais” e tem feito, vai fazer e não há quem impeça, somente Deus, nosso criador pode dizer não, mas sei que ele abençoa seus filhos e aqueles que buscam manter a ordem em um momento tão caótico. 

Justamente por causa de todo esse empenho, de todo esse trabalho, de todo esse amor, que a inveja, um dos pecados capitais, traz consigo as fake news, tão amplamente publicadas pelo grupo anterior, essas mentiras, outro pecado capital, traz consigo a ira, mais um pecado capital, e com todos eles a perseguição. Oposição tem que cobrar sim, é para isso que celebramos a democracia de 2 (dois) em 2 (dois) anos.  Mas perseguir é atestado de incompetência, de inveja, de raiva, pois no fundo esse grupo sabe que nunca conseguirão, por falta de liderança mesmo, ser nem 1/3 (um terço) do que em menos de 5 anos a atual gestão representa. 

Convido a população a pensar, relembrar, trazer na memória o quanto os 8 anos da incompetência passada foram tão danosos, foram como uma erva daninha destruindo, inclusive, o trabalho que vinha desempenhando o saudoso Dr. Clóvis Figueiredo, outra grande figura política. 

O ódio nunca será motor para conduzir a política, a vida ou o que seja a lugar algum, somente à lama. E à lama jamais retornaremos.

Brava gente nazarena, orgulhem-se dessa terra morena que Deus abençoou, batam no peito com força dizendo o quanto ela é garbosa, é majestosa, é uma joia a luzir. 

O ódio não vencerá o amor. O trabalho continuará firme e forte. Nazaré está em mãos certas. 


Fraternalmente,


Victor Meirelles.

Nenhum comentário:

Postar um comentário