OLIMPÍADAS


domingo, 11 de julho de 2021

Desigrejados, o movimento cristão que mais cresce no Brasil

 



O fenômeno dos desigrejados vem aumentando consideravelmente nos últimos anos e já causa preocupação entre as denominações.

O movimento acredita que o Batismo foi com o sangue de Cristo derramado na Cruz, que dízimos e ofertas devem ser para ajudar aos necessitados, em hospitais, favelas e moradores de rua.
Os membros do movimento acreditam que o maior louvor a Deus é ajudar ao necessitado e que Deus não é carente e não quer serviços, nem adorações  em paredes ou igrejas com CNPJ.
No Facebook e em outras Plataformas digitais o movimento ganha novos adeptos a cada dia, milhares de pessoas saem das igrejas e começam a congregar com a própria família e nas casas dos vizinhos; Ninguém no movimento se intitula pastor e todos do movimento tem Cristo como único pastor e guia.

O movimento dos Desigrejados se desenvolveu sob grande influência das novas concepções de igrejas, em especial a concepção denominada de igreja orgânica, que são grupos religiosos que abriram mão de toda a formalidade denominacional, para viver um cristianismo informal com forte ênfase nos relacionamentos, porém, os desigrejados dão um passo além, pois grande parte dos simpatizantes defende que não é necessário nenhum vínculo relacional ou ajuntamento em grupo para ser cristão.

No Brasil, o fenômeno é relativamente novo e vem crescendo de maneira surpreendente ano após ano e o maior crescimento foi após a Pandemia do COVID.

No último censo do IBGE. em 2010, os resultados foram alarmantes, pois o número de cristãos que se declarou sem vínculo denominacional saltou de menos de 1 milhão em 2000 para quase 10 milhões em 2010, um crescimento de mais de 780%, sendo a categoria evangélica a que mais cresceu.

É interessante observar que entre os desigrejados existem aqueles que romperam definitivamente com a congregação formal e outros que ainda se congregam com certa frequência, mas preferem não desenvolver nenhum vínculo denominacional e, por isso, não interagem com a vida da Igreja local ou submetem-se a liderança eclesiástica. Os Cristãos fora da igreja defendem um modelo de "cristianismo solo".

Quais os principais argumentos dos desigrejados?

Os principais argumentos apresentados por essa nova classe de cristãos para justificar o rompimento com a congregação formal são por exemplo: o estelionato em nome da fé; a ascensão de líderes manipuladores; o discurso hipócrita e demagogo presente em muitas congregações; a superficialidade das mensagens levadas aos púlpitos; os escândalos cada vez mais frequentes, dentre outras coisas.


No embate, o que está em jogo vai além do simples ato de congregar ou não, pois se a congregação formal for de fato necessária, os desigrejados estão em rota de colisão com o propósito de Deus. Se por outro lado o integrar a igreja como instituição é totalmente dispensável, existem muitos cristãos sinceros que estão sofrendo em suas congregações e por alienação em relação a tal verdade deixam de desfrutar a liberdade prometida pelo cristianismo solo.



Nenhum comentário:

Postar um comentário