OLIMPÍADAS


quarta-feira, 7 de julho de 2021

Presidente do Bahia Bellintani, reforça coro por liga independente da CBF 'para dar salto no futebol brasileiro'( VEJA )

Bellintani reforça coro por liga independente 'para dar salto no futebol brasileiro'
 


Um dos principais entusiastas da criação de uma liga independente de clubes no futebol brasileiro, o presidente do Bahia, Guilherme Bellintani, tratou do tema em entrevista ao programa BN na Bola, da Rádio Salvador FM 92.3, na noite desta terça-feira (6). O mandatário tricolor explicou como anda as tratativas e relatou que os envolvidos conversam diariamente para levar o projeto para frente e "dar um salto" no futebol nacional.

 

"A liga teve um processo muito consolidado de reunião dos clubes a partir da montagem da comissão nacional de clubes. A união entre os clubes, que foi uma coisa gradativa, a associação dos clubes que nós montamos, combinado com o momento de difiiculdade da CBF permitiram a formação da liga de futebol, que está se dispondo a organizar os campeonatos das séries A e B. Isso começou no dia 13, 14 de junho, outra reunião em São Paulo... A primeira organização dessa liga chegasse à adesão, e a próxima será lá em Brasília. Diariamente temos conversado sobre isso para alcançar os primeiros marcos de entrega que foram apresentados pelo presidente, para que a gente consiga dar um salto no futebol brasileiro", disse.

 

Questionado sobre como lidar com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) em relação ao tema, Bellintani explicou que houve uma conversa antecipada sobre o tema e que o assunto será retomado após a resolução do problema envolvendo o presidente da entidade, Rogério Caboclo, acusado de assédio moral e sexual.

 

"Eu acho que a gente cumpriu nosso papel, depois que foi definida a formação da liga. Fomos à CBF, todos os clubes, entregamos uma carta informando oficialmente, e nos dispusemos a travar um diálogo de forma equilibrada. É importante ressaltar que a Liga não é contra o trabalho da CBF, a CBF e a liga podem conviver de forma harmoniosa. Sobre a reunião, a CBF vai priorizar o problema da presidência e assim que concluir vai voltar para conversar com nosso. Mas o nosso trabalho independe da conversa com a CBF, de estruturar a liga", pontuou.

 

Bellintani, ao ser abordado sobre o risco de uma implosão desta liga, reconheceu que cada clube tem a sua idelogia, mas fez a projeção de que todos andem no mesmo caminho para que o projeto se torne um sucesso.

 

"Eu acho que a liga é uma coisa em construção. Risco sempre existe, são 40 clubes, e de certa forma cada um tem suas prioridades, suas formas de trabalhar, e o que eu espero é uma convergência. E até o momento eu tenho visto convergência. Eu não vivi a época do Clube dos 13, mas vejo que as discusões não têm priorizado questãos políticas, e sim questões economicas. Os clubes estão mais maduros", explicou.

 

Além de melhoras nos contratos de TV, mais transparência no árbitro de vídeo (VAR) e um calendário menos apertado, a liga de clubes também busca ter influência maior dentro da CBF.

Nenhum comentário:

Postar um comentário