OLIMPÍADAS


terça-feira, 3 de agosto de 2021

BBB da web: Salvador sedia reality carioca com participação de baianos; conheça o Kitnet ( vídeos )


BBB da web: Salvador sedia reality carioca com participação de baianos; conheça o Kitnet

O quê esperar de vinte e três pessoas confinadas em uma casa em busca de um prêmio? A cabeça imediatamente pensa: É uma nova edição do Big Brother Brasil com muita confusão. Quem já tem um repertório de quando se fala em reality show pode até arriscar: "com certeza é A Fazenda, o BBB acontece só no começo do ano".

 

Mas e se falar que não é nenhuma das opções citadas? O sucesso dos realities, que se iniciou no Brasil nos anos 2000 com o No Limite e ganhou o país com formatos como a Casa dos Artistas, De Férias com o Ex, Are You The One, A Casa e Power Couple, fez com que o gênero crescesse para além da mídia tradicional, invadindo as redes sociais.

 

Então, voltemos para o início do texto: o quê esperar de vinte e três pessoas confinadas em busca de um prêmio, em 2021, com o advento das redes sociais? Um reality show feito pela internet e para a internet.

 

A capital baiana foi a escolhida para sediar a segunda edição do Kitnet O Reality que irá premiar o campeão com um celular de última geração. O projeto carioca, fruto da mente do influenciador digital Lucas Realista e da atriz Pillar Costa, conhecida por seus papeis em Malhação (Globo, 2019) e Gênesis (2021), surgiu de um sonho modesto do influenciador de levar alguns amigos, criadores de conteúdo, para uma kitnet com o intuito de mostrar seu dia a dia e os perrengues de quem trabalha com a internet.

 

"A minha ideia era alugar uma kitnet mesmo, arranjar eletrodomésticos de segunda mão, geladeira, sofá, para reunir meus amigos em uma casa e dividir essa experiência de criar conteúdo com eles. Foi aí que eu procurei Pillar, apresentei a ideia e perguntei se ela não conhecia alguém com uma casa para emprestar", contou Lucas ao Bahia Notícias.

 

Foto: Reprodução / Instagram

 

A história ganhou maiores proporções pela mente de Pillar, que faz questão de sonhar alto e brinca: "Deus é o dono do ouro e da prata, então eu sou filha de um milionário". Em entrevista a imprensa a dupla, amigos de longa data contaram um pouco sobre o "parto" do bebê, que está na sua terceira edição e já faz planos para uma "faculdade" com intercâmbio cultural, isto é, passar por outros estados.

 

"Já na primeira edição eu sonhei alto, consegui uma mansão em Mangaratiba (Rio de Janeiro). Lucas ficou surpreso e eu achei que seria legal o contraste do nome ser 'Kitnet' e acontecer em uma mansão. E para essa edição contamos com um patrocinador daqui da Bahia que embarcou nessa ideia e quis trazer o reality para cá". 

 

A logística é similar ao do Big Brother Brasil, porém, sem líder da semana. Os influenciadores passam por provas para manter o espírito de competitividade e atrelado a isso, precisam produzir conteúdos para as próprias redes sociais, aproximando o público ainda mais do reality show e contribuindo para uma espécie de retiro profissional, com trocas de experiências. Eles mesmos que definem quem vai deixar a disputa pelo prêmio em uma votação coletiva, mas o escolhido não deixa a casa e a grande final é definida pelo público.

 

"As ideias das provas vem de sugestões do público. Nós juntamos a equipe e tentamos organizar uma prova baseado no que os nossos seguidores querem ver. A casa vota entre eles para escolher quem vai sair da competição, mas a pessoa não deixa a casa, ela só não concorre mais ao prêmio e no final o público pode votar para escolher o campeão", explica Pillar.

 

 

 

Com o reality sediado em Salvador, seria impossível não ter representantes da terra do dendê na disputa. Entre os baianos estão Suane Fernanda, de 16 anos, Guilherme Dias, de 18, Luis Mattos, de 27 anos, Kirah Menezes de 31, Guh Trindade, de 25 e Laizza, de 22.

 

Foto: Reprodução / Instagram

 

Para quem é familiarizado com as redes sociais, os nomes não causam estranheza. Já quem não usa de forma assídua, pode ficar confuso, caso o influenciador não tenha 3 milhões de seguidores no Instagram.

 

O fator não é um problema para os organizadores do Kitnet, que apostam em estrelas em ascensão, mas também querem lapidar talentos para a web. Segundo Pillar, o que realmente importa para participar do reality show é a essência do participante.

 

"Tivemos influenciadores que entraram com poucos seguidores aqui e cresceram bastante, assim como já teve influenciador com milhares de seguidores querendo participar do nosso reality. Nos queremos qualidade e prezamos pelo amor e respeito. O nosso maior propósito é fazer com que as pessoas melhorem, cada vez mais, quem elas são".

 

Lucas conta que já teve que vetar alguns participantes com muitos seguidores por causa do comportamento do influenciador: "Já pensei em trazer algumas pessoas, mas por causa de brigas e intrigas foi melhor não apostar".

 

Foto: Reprodução / Instagram

 

Com o crescimento do projeto, Lucas e Pillar tratam o Kitnet já como uma marca, que atrai olhares de grandes patrocinadores, mas para participar do projeto, assim como os influenciadores é preciso ter a essência do reality show. 

 

"Nós já somos uma marca respeitada, saímos de 'Kitnet dos Youtubers' para 'Kitnet O Reality' e temos essa preocupação com o projeto. Já recebemos propostas de grandes patrocinadores, mas não combinava com a nossa ideia. Nossa proposta é levar o reality para outros estados e fazer uma edição em cada região do país, mas ainda estamos estudando. Queremos também aumentar o prêmio e já pensamos em dar um carro na próxima edição", disse a atriz que pensa em uma vida longa para o programa.

 

Para quem ficou curioso, todo conteúdo do Kitnet está disponível no canal do YouTube do reality show e pode ser visto também em flashes no Instagram.

 

 

 

HIT ou FLOP? Relembre os realities que já aconteceram em Salvador


Na onda do Kitnet, o Bahia Notícias traz uma lista dos realities shows que já aconteceram na capital baiana. Você conhece essas pérolas?

 

  • O Trio Reality: o projeto da TV Aratu que foi ao ar em janeiro de 2012, confinou anônimos e famosos em uma experiência em busca de um prêmio de R$ 30 mil. Apresentado por Léo Sampaio e Lise Oliveira, o primeiro reality show da Bahia teve como participantes: Ana Célia,  Werles Pajjero (anônimos), Rosiane Pinheiro, Guga de Paula, Rianne Ferreira e Léo Kret.

 

 

  • Big Brother Cajazeiras: a ideia de um grupo de moradores do bairro de Cajazeiras, conquistou espaço na Globo nacional, em meio ao furacão da 21ª edição do BBB oficial. A brincadeira idealizada pelo influenciador Yuri Santos contou com provas, big fone, festas e apresentador. Os 18 participantes competiam por um prêmio de R$ 200 e uma viagem para Morro de São Paulo. O sucesso foi tanto que o reality show chegou a ganhar espaço no Fantástico e foi reconhecido pelo apresentador Tiago Leifert.

 

  • Baianidades: o projeto idealizado por Vitor Cirne, veio com a proposta de animar as redes sociais ao reunir 20 participantes, sendo deles 10 homens e 10 mulheres, em uma mansão em Barra de Jacuípe, em busca de um prêmio de R$ 10 mil reais. No entanto, ao longo do confinamento, a premiação mudou para uma viagem com hospedagem para a Chapada Diamantina com acompanhante e café da manhã e sem direito a transfer.O reality, que chegou a receber o apelido de Big Brother Bahia, acabou com denúncia de assédio, falta de auxílio médico, problemas com a alimentação, falta de itens de higiene e o apelido de 'No Limite'.      MATÉRIA DE BIANCA ANDRADE

Nenhum comentário:

Postar um comentário