OLIMPÍADAS


quarta-feira, 8 de setembro de 2021

Prates faz apelo sobre 'diferenças políticas' e pede que Anvisa libere Coronavac para crianças

 

Prates faz apelo sobre 'diferenças políticas' e pede que Anvisa libere Coronavac para crianças

A autorização do Chile para uso da vacina contra a Covid-19 CoronaVac em crianças de mais de seis anos motivou o secretário da Saúde de Salvador, Leo Prates, a defender que o Brasil siga “o exemplo da Bahia, coloque as diferenças políticas de lado” e adote a mesma estratégia.

 

A CoronaVac foi desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac. No Brasil, as pesquisas e a produção do imunizante ocorrem em parceria com o Instituto Butantan, de São Paulo. O laboratório já apresentou pedido à Anvisa para uso da vacina em crianças e adolescentes, mas o órgão sanitário rejeitou a solicitação. Além do Chile, o uso da Coronavac em crianças e adolescentes foi aprovado de forma emergencial na Indonésia e na China. Com a decisão da agência reguladora de medicamentos do Chile, as crianças de mais de seis anos poderão ser incluídas na campanha de vacinação do país.

 

Na manhã desta quarta-feira (8), o secretário de Salvador argumentou sobre a eficácia da vacina Coronavac nesse público. “A revista The Lancet publicou um estudo que a CoronaVac para adolescentes e crianças tem eficácia de 96%, quase sem reações adversas. O que isso nos ajuda no momento? As cidades e o governo do Estado estão com vacinas CoronaVac em boa quantidade", sinalizou Prates em entrevista ao Jornal da Manhã, da TV Bahia.

 

Leo Prates finalizou fazendo um apelo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária. "Fica o apelo aí para a Anvisa, para uma rápida aprovação da CoronaVac para utilização acima de seis anos, já que China e Chile já estão usando", disse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário