Últimas Notícias

Baiano João Miguel vence Grande Prêmio de Cinema Brasileiro; veja outras categorias



O filme cearense "Pacarrete" foi o destaque da premiação, vencendo em oito categorias


No último domingo (28), foram anunciados os vencedores da 20ª edição do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro. 
O baiano João Miguel saiu como vencedor na categoria "Melhor Ator Coadjuvante", pelo seu papel como Miguel, em "Pacarrete". 
O filme cearense foi o grande destaque da premiação, vencendo em oito categorias, incluindo o de Melhor Filme do Júri Popular.

Além dele, o documentário "Babenco - Alguém tem que ouvir o coração e dizer: Parou" também se destacou, levando a melhor em quatro categorias. O documentário, dirigido pela também atriz Bárbara Paz, é a indicação do Brasil ao Oscar 2021.

A premiação ainda homenageou o cineasta moçambicano radicado no Brasil, Ruy Guerra, que completou 90 anos. Ao todo, foram anunciados 32 prêmios.

 

Confira a lista de premiados:

Melhor Longa-Metragem Ficção:

"A febre", de Maya Da-Rin.

Melhor Direção:

Jeferson De, por M8 – "Quando a morte socorre a vida"

Melhor Longa-Metragem Comédia:

"Pacarrete", de Allan Deberton

Melhor Ator:

Marcos Palmeira, como Boca de ouro, por "Boca de ouro" (de Daniel Filho)

Melhor Atriz:

Marcélia Cartaxo, como Pacarrete, por "Pacarrete"

Melhor Ator Coadjuvante:

João Miguel, como Miguel, por "Pacarrete"

Melhor Atriz Coadjuvante:

Hermila Guedes, como Cosma e Damiana, por "Fim de festa" (de Hilton Lacerda).

Melhor Longa-Metragem Documentário:

"Babenco – Alguém tem que ouvir o coração e dizer: Parou”, de Bárbara Paz.

Melhor Filme Pelo Voto Popular:

"Pacarrete", de Allan Deberton.

Melhor Filme Internacional:

"Jojo Rabbit", de Taika Waititi (EUA)

Melhor Filme Ibero-Americano:

"O roubo do século", Ariel Winograd (Argentina)

Melhor Longa-Metragem Animação:

"Os under-undergrounds, o começo", de Nelson Botter Jr.

Melhor Primeira Direção De Longa-Metragem:

Bárbara Paz, por "Babenco – Alguém tem que ouvir o coração e dizer: Parou”

Melhor Som:

Rodrigo Ferrante, Miriam Biderman, bc e Ricardo Reis, Abc, por "Babenco – Alguém tem que ouvir o coração e dizer: Parou”

Melhor Montagem Ficção:

Karen Akerman, por "A Febre"

Melhor Montagem Documentário:

Cao Guimarães e Bárbara Paz, por "Babenco – Alguém tem que ouvir o coração e dizer: Parou”

Melhor Roteiro Original:

Allan Deberton, André Araújo, Natália Maia e Samuel Brasileiro, por "Pacarrete"

Melhor Roteiro Adaptado:

Jeferson De e Felipe Sholl – Adaptado da obra "M8: Quando a morte socorre a vida", de Salomão Polakiewicz, por "M8 – Quando a morte socorre vida" (de Jeferson De).

Melhor Curta-Metragem Ficção:

"República", de Grace Passô

Melhor Curta-Metragem Documentário:

"Filhas de lavadeiras", de Edileuza Penha de Souza.

Melhor Curta-Metragem Animação:

"Subsolo", de Erica Maradona e Otto Guerra.

Melhor Direção De Fotografia:

Barbara Alvarez, por "A febre"

Melhor Maquiagem:

Tayce Vale, por "Pacarrete"

Melhor Figurino:

Kika Lopes, por "Boca de ouro"

Melhor Efeito Visual:

Marcelo Siqueira, Abc, por "A divisão – O filme" (de Vicente Amorim).

Melhor Direção De Arte:

Rodrigo Frota, por "Pacarrete"

Melhor Série Documentário Tv Paga/ Ott:

"Milton e o clube da esquina" – 1ª Temporada (Canal Brasil). Direção Geral: Vitor Mafra.

Melhor Longa-Metragem Infantil:

"10 horas para o natal", de Cris D’amato.

Melhor Série Animação TV Paga/ Ott:

"Rocky & Hudson: Os caubóis gays" – 1ª Temporada (Canal Brasil). Direção Geral: Erica Maradona.

Melhor Série Ficção TV Aberta:

"Sob pressão – Plantão Covid" - Temporada Especial (Tv Globo). Direção Geral: Andrucha Waddington.

Melhor Série Ficção TV Paga/ Ott:

"Bom dia, Verônica" – 1ª Temporada (Netflix). Direção Geral: José Henrique Fonseca.

Melhor Trilha Sonora:

Fred Silveira, por "Pacarrete"

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

header ads