terça-feira, 30 de novembro de 2021

Republicanos estaria avaliando apoiar Wagner para governo da Bahia em 2022


Republicanos estaria avaliando apoiar Wagner para governo da Bahia em 2022

Um antigo aliado pode estar de volta para a base do PT na Bahia. O Republicanos teria iniciado conversas para apoiar a candidatura de Jaques Wagner ao governo da Bahia em 2022 e assim reeditar a aliança que durou entre 2006 e 2014. A informação foi inicialmente publicada pelo jornal O Globo  e confirmado a imprensa baiana,  por uma fonte do partido que pediu anonimato.

 

O partido ligado a Igreja Universal estaria negociando o apoio ao senador petista por estar insatisfeito na base do ex-prefeito de Salvador ACM Neto (DEM/UB), de quem é aliado desde 2012. Apesar de considerar que teve pouco espaço nos governos de Neto, na atual gestão de Bruno Reis (DEM/UB), a legenda ocupa a Secretaria de Infraestrutura e Obras Públicas (Seinfra), que é chefiada por Luiz Carlos, vereador mais votado no pleito do ano passado na capital baiana.

 

Além disso, embora as pequisas apontaem o contrário, nos cálculos dos membros da sigla, Wagner teria mais chances de vencer as eleições por conta da força dos palanques da base governista no interior, já que PP e PSD, detêm a maioria das prefeituras. O "fator Lula”, também está sendo levado em consideração, já que o ex-presidente é avaliado como um grande puxador de votos no estado.

 

A negociação por cargos também entraria nas conversas, mas não apenas a nível estadual. Na mesa, estariam secretarias, mas também ministérios, caso Lula vença a disputa presidencial.

 

Nos últimos meses, gestores de municípios baianos filiados ao Republicanos se reuniram com o governador Rui Costa (PT), a exemplo de Braulina Lima, prefeita de Aracatu, e Eraldo Félix, prefeito de Érico Cardoso. Na pauta, além da busca de investimentos para as cidades, também estava o apoio a Wagner.

 

Apesar de inusitada, a união não seria algo inédito. Em 2008, o atual presidente dos Republicanos na Bahia, Márcio Marinho, foi o vice na chapa encabeçada por Neto para a Prefeitura de Salvador e ao mesmo tempo fazia parte da base do governo estadual, liderada por Wagner.

 

Para o BN, Jaques Wagner disse que não foi procurado por ninguém do partido e nem ele os procurou. O site buscou contato com Marinho, mas não conseguiu retorno.

 

SAÍDA DE ROMA

A saída do ministro da Cidadania João Roma do Republicanos já é dada como certa na cúpula do partido . Cotado como candidato ao Palácio de Ondina, Roma pode ir para o PL, mesma sigla que o presidente Jair Bolsonaro vai se filiar nesta terça-feira (30).

 

Além disso, conforme publicou O Globo, uma reunião entre dirigentes locais da sigla e o presidente do partido, o deputado federal Marcos Pereira (SP), definiu que a sigla não deve lançar candidaturas ao governo nas eleições de 2022, mas sim focar em candidaturas à Câmara dos Deputados e ao Senado, visando a distribuição do fundo eleitoral. 


por Anderson Ramos Bahia Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário