Últimas Notícias

Travessia Plataforma-Ribeira é opção de rolê diferente por Salvador


 Foto: Lucas Moura/Secom

Pense em um rolê de responsa e bem pertinho, aqui mesmo, em Salvador. O passeio envolve uma caminhada ou pedalada por ruas planas, travessia por águas calmas da Baía de Todos-os-Santos, apreciação da venda de peixes e frutos do mar a baixo custo, degustação de bons pratos da culinária baiana e dos sorvetes mais saborosos da cidade, banho de mar em águas mornas e contemplação de um belo pôr do sol.

 

Essas e outras opções de lazer circundam a Travessia Marítima Plataforma-Ribeira. O roteiro pode ter como ponto de partida a Basílica do Senhor do Bonfim, onde é possível amarrar uma fitinha no braço, ou no gradil da igreja e fazer três pedidos, além de garantir fotografias cheias de cor e beleza, para o perfil nas redes sociais.  A área conta com diversas vagas de zona azul para estacionamento.


Foto: Lucas Moura/Secom

 

A próxima parada é no Terminal Marítimo da Ribeira, onde é possível pegar uma embarcação por R$3,30 (inteira) e R$1,65 (meia) e seguir para o bairro de Plataforma. Se for bem cedinho, dá para comprar pescado a baixo custo no Porto das Sardinhas, situado nas proximidades do Terminal Marítimo de Plataforma. O local é conhecido pela venda diária de peixes e frutos do mar.

 

O quilo da sardinha no local pode variar entre R$0,50 e R$6, a depender do período. Ainda no Subúrbio, há uma variedade muito grande de restaurantes com uma culinária de boa qualidade.


Foto: Lucas Moura/Secom

 

Diversão em família – Dulcilene de Lima, de 49 anos, fez o roteiro inverso, nesta semana, saindo de Fazenda Coutos, bairro onde mora no Subúrbio, em direção às proximidades da Penha, para curtir o dia na praia. Ela deixou o veículo estacionado em Plataforma, para fazer uma viagem mais rápida, tranquila e prazerosa pelo mar.

 

“Eu gosto muito da praia da Ribeira. Além de estar perto de onde eu moro, devido ao transporte marítimo, tem um mar calmo, alimento e bebida a preços razoáveis. Dá para trazer as crianças e se divertir em família”, conta.

 

Como ela, de 80 a 150 pessoas realizam o trajeto pelo mar, diariamente, concluído em apenas sete minutos, encurtando a distância aproximada de 11 quilômetros por terra, percorrida no período aproximado de 30 minutos, a depender do trânsito.

 

“Quando o trem do Subúrbio estava funcionando, muita gente fazia a integração, então a embarcação ficava mais cheia, principalmente no período das seis às nove da manhã. Para quem mora em um dos bairros e trabalha do outro lado, o traslado proporciona uma praticidade muito grande”, conta o marinheiro auxiliar de convés, José Anchieta, que já trabalha com o serviço.

 

Pedal na orla – Ao retornar do Subúrbio para a Ribeira, é possível alugar uma bike no bicicletário situado no Largo da Ribeira, ao lado do Terminal Marítimo. O aluguel varia de R$15 a R$20, mas o diferencial do local é a bicicleta quadriciclo, muito disputada pelas famílias. O veículo dispõe de lugar para dois adultos e até duas crianças. A topografia e a paisagem dão um "empurrãozinho", visto que as ruas são planas e o cenário é o mar.

 

O bicicletário funciona ainda como estacionamento e com o programa Bike Comunidade, de serviços gratuitos para a população. Com o Bike Comunidade, pessoas que precisam da bicicleta para trabalhar fazem um cadastro para poder utilizá-la gratuitamente. O funcionamento do bicicletário é de terça a domingo, das 8h às 18h.

 

E enquanto passeia pela orla, que tal conhecer um pouco da história do bairro? A Ribeira começou a ser ocupada como uma aldeia de pescadores, ainda durante a formação de Salvador, no século XVI e posteriormente seu ancoradouro passou a ser utilizado para o reparo de barcos, por isso o nome ribeira, que em Portugal designava locais onde tais reparos eram feitos. O bairro também foi o primeiro de Salvador a contar com um hidroporto, em 1939.

 

Requalificação – Em 2015, a nova orla da Ribeira foi inaugurada pela Prefeitura de Salvador, após requalificação de seus 1,6 km de extensão. O local passou a contar com praças, academias de ginástica, parques infantis, pista semiprofissional para a prática de skate e novas extensões de ciclofaixas e ciclovias.

 

Seguindo o modelo de requalificação dos demais trechos de orla, entregues pelo Município, a reforma no bairro da Península Itapagipana teve toda a fiação de energia elétrica e telefonia realocada para o subsolo. Além disso, a faixa restaurada passou a contar com mobiliário urbano, áreas verdes e pavimentação, rede de esgoto, passeios com cerca de 3,5 metros de diâmetro e elementos de paisagismo.

 

Sorvete e pôr do sol – Após a volta de bike e a contemplação da história viva do local, vale muito a pena tomar um sorvete em uma das sorveterias da região. A que leva o nome do bairro, por exemplo, foi fundada em 1931 e recebeu a visita de diversos artistas e autoridades. O seu grande diferencial é a variedade de sabores dos sorvetes.

 

Mais atual, o Museu do Sorvete também tem seus atrativos. Está instalado no casarão Amado Bahia, na Rua Porto dos Tainheiros e oferece ótima estrutura. É possível comprar do picolé ao açaí e o mais importante: conhecer um pouco a história da fabricação da iguaria e do centenário casarão Amado Bahia.

 

Para finalizar o passeio, a dica é assistir ao pôr do sol na praia da Ribeira ou na Ponta de Humaitá, ambos oferecem uma vista incrível. O sol e o seu encontro com o mar parecem estar bem mais próximos, formando um cenário deslumbrante.


Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

header ads