sábado, 2 de maio de 2020

Desigrejados já são mais de 5 milhões no Brasil e número aumenta ainda mais devido ao CIVID-19 ( VEJA )

Não importa se a igreja esta cheia ou vazia,o importante é louvar ...

Um grupo crescente dentre os evangélicos são os denominados desigrejados, fiéis que abriram mão do vínculo com igrejas por causa da insatisfação com desvios teológicos, escândalos políticos e financeiros e outras razões. De acordo com o IBGE, em 2003 apenas 0,7% dos cristãos protestantes se diziam não frequentadores de templos. Em 2009 esse número já havia chegado a 2,9%.
A discussão em torno do assunto parte sempre do princípio de que as pessoas estão erradas ao adotar uma postura de afastamento, mesmo que não tenham se tornado “desviados”, como popularmente os evangélicos se referem aos apóstatas. Já os motivos que levam as pessoas a tomarem decisões como essas, na maioria das vezes, são colocadas de lado.
Um levantamento da revista IstoÉ, de agosto de 2017, a partir de dados da Pesquisa de Orçamento Familiar (POF) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, estimou que o número de desigrejados no Brasil, superava a faixa dos 4 milhões de pessoas.
Em 2020 por conta da pandemia do novo coronavírus, muitos frequentadores de templos religiosos, viram pastores virarem as costas aos membros no período de maior dificuldade, igrejas de pequeno e grande porte, sem dar nenhum auxílio aos seus membros.
Em recente vídeo de um pastor evangélico conhecido como Paulo Jr, ele mesmo alerta para os falsos que prometem curas milagrosas e agora em período de COVID-19 se escondem.
Milhares de evangélicos tem usado as redes sociais para expressarem suas decepções com o sistema religioso e dizem que continuam com a fé, porém dentro de casa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário