sexta-feira, 28 de agosto de 2020

Hospitais russos começam a receber vacina contra a Covid-19 para testá-la em voluntários

Hospitais russos começam a receber vacina contra a Covid-19 para testá-la em voluntários
Foto: Divulgação

Os hospitais russos já estão recebendo a primeira vacina contra a Covid-19 produzida pelo país. De acordo com o portal Viva Bem, do Uol, a medida faz parte da etapa final de testes para averiguar a eficácia do imunizante.

A informação foi dada nesta quinta-feira (27) pelo ministro da Saúde da Rússia, Mikhail Murashko, em entrevista à agência de notícias local Interfax. 

Mais de 40 mil pessoas, entre equipes de saúde e voluntários, participarão do estudo da Sputnik V. A comunidade científica vem questionando a vacina russa por acreditar que as etapas para a aprovação dela não foram feitas com a minuciosidade necessária neste caso. 

Além disso, não há registro do imunizante até agora na Organização Mundial da Saúde, bem como informações científicas concretas sobre as fases iniciais da imunização.

A autorização do imunizante, dada pelo governo da Rússia, ocorreu sem a finalização dos exames clínicos. O presidente Vladimir Putin simplesmente disse que a vacina é segura e que uma de suas filhas se voluntariou para testar o produto. 

Quem desenvolveu a Sputnik V foi o Instituto Gamaleya de Pesquisa em Epidemiologia e Microbiologia, com apoio dos ministérios da Saúde e da Defesa do país europeu. A ideia do governo europeu é que a vacinação em massa da população, de forma gratuita, ocorra a partir de outubro. 

Ainda nesta quinta-feira (27), Putin revelou que o Instituto Vektor de Novossibirsk, na Sibéria, está desenvolvendo uma segunda vacina no país, que deve entrar na fase de testes já em setembro. 


BN

Nenhum comentário:

Postar um comentário