segunda-feira, 21 de dezembro de 2020

Justiça manda prefeitura suspender interdições na Cracolândia, em SP

 

[Justiça manda prefeitura suspender interdições na Cracolândia, em SP]
Foto : Rovena Rosa/Agência Brasil

"Relatos não são de cadastramento com assistência social e atendimento à saúde, mas de constrangimento e assédio", destaca juiz Luís Manuel Fonseca Pires

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) determinou a suspensão dos bloqueios nas ruas da Cracolândia, na região central da cidade de São Paulo, na noite dessa sexta-feira (18). A decisão foi do juiz Luís Manuel Fonseca Pires.

A prefeitura paulistana começou a interditar algumas ruas da região, colocando tapumes para demolição de imóveis na Alameda Dino Bueno e no Largo Coração de Jesus, para dar espaço às obras de construção de moradias populares. A decisão determina então, que o prefeito Bruno Covas suspenda imediatamente os bloqueios nas ruas afetadas e também ações que possam dificultar o acesso dos moradores. O não cumprimento tem pena de apuração de possíveis atos de improbidade administrativa.

“Os relatos não são de cadastramento com assistência social e atendimento à saúde, mas de constrangimento e assédio, inclusive com o uso ostensivo da Guarda Civil Municipal, em possível desvio de finalidade das competências da instituição", destacou o juiz em sua decisão, que atende a um pedido da Defensoria Pública do Estado de São Paulo. A prefeitura de São Paulo, no entanto, informou que ainda não foi notificada da decisão da Justiça.

Ontem (19), o movimento "A Craco Resiste" emitiu uma nota contra a decisão da prefeitura. “Agora, a prefeitura, depois de quatro anos de bombas, se prepara para levar novamente os tratores para a Cracolândia. Uma repetição de 2017, quando os prédios começaram a ser derrubados com as pessoas ainda dentro. É preciso reagir com urgência contra esse projeto de cidade assassina, que destrói vidas por lucros privados”, diz trecho do posicionamento.




Nenhum comentário:

Postar um comentário