OLIMPÍADAS


quarta-feira, 10 de fevereiro de 2021

NAZARÉ: Secretária de Saúde responde a imprensa sobre mortes de idosos após primeira fase da vacina (VEJA)


 


Três idosos de um abrigo de longa permanência localizado na cidade de Nazaré das Farinhas, no Recôncavo baiano, morreram em decorrência de complicações da Covid-19 após terem sido vacinados com o imunizante contra a doença. A informação foi confirmada ao BNews nesta quarta-feira (10) pela secretária de Saúde do Município, Samantha Falcão.
Apesar dos óbitos ocorrerem após a vacinação, o tempo não foi suficiente para imunizar os idosos, de acordo com Samantha. As primeiras doses foram aplicadas no dia 19 de janeiro e, doze dias depois, as pessoas começaram a apresentar sintomas, como febre e diarreia.

“A gente achou estranho. Um corpo técnico da prefeitura foi até o abrigo. Fizemos exames swab (considerado o padrão ouro dos testes de Covid-19), e deram positivo. Imediatamente entramos em contato com a equipe da Sesab”, explicou. 

Para a secretária, o coronavírus já deveria ter sido contraído antes da vacina, e que o caso está sob investigação para saber se a doença foi potencializada ou não pelo imunizante. 

A prefeitura vacinou 50 idosos do asilo, e 722 pessoas em todo o município até hoje. “Por isso entendemos que não foi pontual da vacina, porque senão mais pessoas teriam complicações”, completou. 


Texto: Bocão News
https://www.piroponews.com/2021/02/nazare-secretaria-de-saude-responde_10.html

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Samantha Falcão, Secretária de Saúde do município de Nazaré, vem a público esclarecer sobre a morte de 3 idosos do Abrigo Paulo de Tarso, que ocorreram nesta semana:

Os idosos tinham entre 73 e 75 anos, possuíam comorbidades e foram vacinados no dia 19 de Janeiro. 

Os 3 idosos, no dia 31 de Janeiro,  apresentaram sintomas de febre e diarréia, e, desde então, a Secretaria de Saúde veio prestando assistência a eles e aos demais idosos.

Todos os nossos vacinados contra a Covid-19, seja profissionais de Saúde ou idosos, estão sendo monitorados como em qualquer vacinação contra outras doenças.

Da mesma forma que em outras vacinas, espera-se que haja sintomas leves nos primeiros dias, não havendo a menor possibilidade da vacina causar a doença.

Portanto, é prematuro afirmar que há relação das mortes com a vacina, e asseguramos a toda a população que vacinar é um ato de cuidado coletivo.

Estamos com todo o apoio técnico da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia e com a colaboração por parte da diretoria do Abrigo Paulo de Tarso para todos os esclarecimentos necessários.

Nenhum comentário:

Postar um comentário