OLIMPÍADAS


terça-feira, 2 de março de 2021

Alden questiona aliança entre PSL e MDB e critica Dayane: 'Toma decisões arbitrárias'





O deputado estadual Capitão Alden criticou a aliança firmada entre seu partido, o PSL, com o MDB. Nesta segunda-feira (1º), ele afirmou que o acordo foi feito de forma arbitrária pela presidente da legenda na Bahia, a deputada federal Dayane Pimentel (PSL). 

 

Para o parlamentar, a dirigente tem “o dever moral e ético de consultar os filiados". “Ela toma decisões totalmente isoladas, de forma arbitrária. Ela fala tanto em democracia, mas não ouve nem os seus parlamentares, que são base do partido dela e, pior ainda, os filiados ao partido”, reclamou, em entrevista ao Bahia Notícias.

 

Alden afirmou que nem ele e nem Talita Oliveira, outra deputada estadual do PSL, foram consultados sobre a aliança. Ele afirma ter enviado um ofício à executiva estadual da sigla solicitando mais informações acerca do pacto com o MDB, comandado no estado por Alex Futuca. “Nós entendemos a autonomia que a presidente tem para tomar determinadas decisões. Mas, uma decisão como esta, tem que ser muito bem pensada, avaliada e dividida. Existe no PSL não só a presença física de Dayane Pimentel”, criticou.

 

O deputado estadual ainda afirma que ele e Talita sofrem perseguição política de Dayane. Ele teria enviado ofícios e tentado uma relação institucional com a deputada, mas não teria tido êxito. “Houve informações contundentes de candidatos do PSL que informaram ter receio de tirar foto comigo, mesmo sendo do partido, porque teriam receio dela mesmo tirar legenda dos candidatos que fizessem vídeos ou fotos comigo”.

 

A relação estremecida entre Alden e Talita com Dayane e Alberto Pimentel (secretário-geral do partido na Bahia) vem desde o início de 2019. Ambos reclamam desde então da falta de diálogo da presidente do PSL no estado  A situação se acirrou quando o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deixou a legenda, no final de 2019. Dayane rompeu com o chefe de Estado, enquanto os deputados estaduais se mantiveram fieis a ele – ambos, inclusive, fazem parte do projeto do Aliança Pelo Brasil, partido de Bolsonaro que ainda não saiu do papel.


foto: PIRÔPO NEWS / fonte BN por Matheus Caldas


Nenhum comentário:

Postar um comentário