domingo, 25 de abril de 2021

SÍNDROME PÓS-COVID: SEQUELAS SÃO MAIS COMUNS EM QUEM DESENVOLVE FORMA GRAVE DA DOENÇA

 



A complexidade do impacto do novo coronavírus no organismo ainda está sendo estudada, mas já se sabe que a doença pode deixar diversas sequelas em suas vítimas após a cura. Nos Estados Unidos, esse conjunto de doenças recebeu o nome de PASC (Sequelas Agudas do Pós-Covid, em tradução livre). Fadiga, falta de ar, ausência de paladar e olfato, confusão mental, distúrbios do sono, febre, sintomas gastrointestinais, ansiedade e depressão são as mais comuns. Nas unidades de saúde cariocas, a experiência do dia a dia no tratamento de pacientes com Covid-19 também reforça essa tese.

– Percebemos que os pacientes que costumam apresentar sequelas por mais tempo são aqueles que passaram por intubação e quem tem mais propensão para desenvolver a forma grave da doença: obesos, diabéticos, hipertensos e portadores de doenças respiratórias – afirma o gerente médico do Hospital Badim, Antonino Eduardo.
Segundo o médico, o comprometimento pulmonar dos pacientes é a implicação mais percebida durante o acompanhamento pós-internação. Além do impacto da doença no organismo, o tratamento e a intubação por um período prolongado também podem provocar, por si só, sequelas que acabam se agravando pelo uso de bloqueadores neuromusculares e corticoides.

– Esses medicamentos têm potencial de desencadear quadros graves de miopatias, que são doenças inflamatórias que acometem os músculos. Além disso, o paciente pode desenvolver outras doenças inflamatórias como a miocardite, por exemplo, que pode evoluir com complicações como as arritmias cardíacas. Se depois da alta o paciente perceber cansaço, dor de cabeça persistente e dor abdominal, a orientação é procurar atendimento médico o quanto antes – orienta Antonino.



Impactos na saúde ainda não são totalmente conhecidos
Apesar de diversas pesquisas internacionais confirmarem que as sequelas da Covid-19 podem ser duradouras, esses danos à saúde ainda não são totalmente conhecidos pela ciência. Existem estudos que também relacionam a doença com o comprometimento das funções cognitivas, perda de memória e incapacidade de realizar atividades cotidianas.




Enquanto a Medicina ainda se debruça sobre as consequências da Covid-19 no organismo, a melhor forma de evitar qualquer sequela é se proteger contra o vírus mantendo o isolamento social, as medidas de higiene e o uso de máscara e se vacinando quando chegar sua vez.


fonte: hospitalbadim.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário