OLIMPÍADAS


domingo, 8 de agosto de 2021

Após polêmica por uso de uniforme, COB diz que vai à justiça contra CBF

 



Seleção masculina de futebol não utilizou uniforme completo do time Brasil em cerimônia de premiação e descumpriu obrigação contratual

Após a seleção brasileira de futebol subir ao pódio com o agasalho do uniforme oficial do time Brasil amarrado na cintura, o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) afirmou que tomará as medidas judiciais cabíveis contra a Confederação Brasileira de Futebol (CBF). O uso do uniforme completo nas cerimônias de premiação era uma obrigação contratual do COB com a patrocinadora, a empresa chinesa Peak Sports, que forneceu os uniformes para toda delegação brasileira. 

Na cerimônia de premiação do futebol, no entanto, os atletas subiram ao pódio com o agasalho amarrado na cintura. A seleção deu preferência a exibir a camisa do jogo, uniforme que é patrocinado pela Nike, em acordo com a CBF. Vale lembrar que até 2016 a Nike também era a patrocinadora do COB, mas o contrato foi rompido e a entidade fechou novo acordo com a Peak.

Em nota, o COB disse repudiar a atitude da seleção e afirmou que fará a avaliação das medidas cabíveis após o encerramento dos jogos. Em entrevista coletiva ainda em Tóquio, o diretor de esportes do COB, Jorge Bichara, afirmou que medidas judiciais serão tomadas. “Estamos extremamente satisfeitos com a performance da equipe, mas lamentamos a atitude dos atletas no pódio. Lamentamos a atitude da Confederação Brasileira de Futebol na condução do caso. Agora, ele sai da esfera esportiva e entra em uma esfera jurídica que vai ser inserida pela área jurídica”, afirmou.

Apesar das possíveis consequências legais, o COB afirmou que a atitude não acarretará mudanças no premio em dinheiro prometido aos atletas em caso de medalhas. “Viemos para cá com a promessa de que, em caso de medalha, teria a premiação. Não vamos mudar isso. Mas vamos ver outras consequências depois da nossa atuação específica em relação a esse tema”, disse o presidente da entidade,  Paulo Wanderley. Para equipe com mais de seis atletas, como é o caso do futebol, uma medalha de ouro garante o prêmio de R$ 750 mil para ser dividido entre os jogadores.

Leia a íntegra da nota emitida pelo COB

O Comitê Olímpico do Brasil repudia a atitude da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e dos jogadores da seleção de futebol durante a cerimônia de premiação do torneio masculino.

No momento, as energias do Comitê estão totalmente voltadas para a manutenção dos trabalhos que resultaram na melhor participação brasileira na História das Olimpíadas.

Por este motivo, apenas após o encerramento dos Jogos o COB tornará públicas as medidas que serão tomadas para preservar os direitos do Movimento Olímpico, dos demais atletas e dos nossos patrocinadores.


Nenhum comentário:

Postar um comentário