OLIMPÍADAS


terça-feira, 3 de agosto de 2021

Para PT-BA, ofensas de Vilas-Boas demonstram 'racismo, misoginia e machismo'




Em nota divulgada nesta terça-feira (3), a Secretaria de Mulheres do PT Bahia se manifestou sobre o episódio em que o secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, ofendeu a empresária Angeluci Figueiredo. Para o PT, o ato "demonstra desrespeito, racismo, misoginia e machismo".

 

"O fato ocorrido traz para o centro problemas estruturais que fazem vítimas todos os dias em nosso estado e em nosso país, do qual nós, mulheres, somos obrigadas a lidar em nosso cotidiano, seja no campo pessoal ou profissional", diz trecho da nota em que a Secretaria de Mulheres repudia a atitude de Vilas-Boas.

 

Segundo o texto divulgado pela sigla, fatos como este não podem repercutir apenas com pedidos de desculpas, mas, sobretudo, que sirva de exemplo para que não seja mais reproduzido. "No projeto de sociedade que defendemos nunca coube e não cabe nenhum tipo de opressão e violência", finaliza a nota.

 

Durante conversa divulgada através de um aplicativo de mensagens com Angeluci, Vilas-Boas chamou a chef de "vagabunda". A ofensa teria sido feita após Fábio não ter conseguido acessar com seus convidados no restaurante.

 

De acordo com a nota divulgada pela chef, o fechamento do estabelecimento se deu "em virtude da instabilidade do tempo, das condições climáticas e das variações do vento e da navegabilidade na Baía de Todos os Santos, recomendou a restrição de navegação em todo o entorno, incluindo, claro, a Ilha dos Frades, onde funciona o restaurante".

 

POLÍTICOS SE MANIFESTAM

Em uma rede social, a líder da oposição na Câmara de Salvador, vereadora Marta Rodrigues (PT), declarou solidariedade e afirmou que "não podemos aceitar qualquer atitude machista de quem quer que seja".

 

"Mais do que se desculpar, o que o secretário Fábio já fez publicamente, é fundamental que ele reflita sobre seu posicionamento equivocado. Precisamos de discursos que combatam e enfraqueçam a misoginia tão presente em nossas vidas, e não um discurso que fortaleça e corrobore ainda mais uma sociedade machista", escreveu a vereadora.

 

Da Assembleia Legislativa, o líder da oposição, deputado Sandro Regis (DEM), disse que esse tipo de declaração não condiz com o cargo de secretário de Estado e cobrou uma atitude de Rui Costa. "As agressões são graves e exigem um posicionamento do governador", afirmou Regis.

 

A deputada estadual, Olívia Santana (PCdoB), também ressaltou que "é fundamental que o secretário repense seus valores autoritários e atitudes". "Foi um absurdo chamar a empresária e Chef Angeluci Figueire de vagabunda, porque teve a sua reserva no restaurante dela cancelada por causa do mal tempo. Por mais que tivesse irritado com a situação, não justifica a agressão machista, o flagrante desrespeito a uma mulher", escreveu Olívia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário