OLIMPÍADAS


terça-feira, 19 de outubro de 2021

CAFÉ COM PIRÔPO: Violência contra mulher no Brasil



Por Marcius Pirôpo 


Infelizmente os casos de violência contra a mulher não param de crescer.

Recentemente uma mulher foi atacada pelo companheiro em Vera Cruz, o homem tentou arrancar a cabeça da companheira com golpes de facão, ela está internada no HGE e ele foi preso neste domingo ( 17 ), em Santo Antônio de Jesus.

É preciso trabalhar na base educacional familiar, desde pequeno os homens devem ser educados e orientados a respeitar a mulher em todos os aspectos.

A sensação de posse que muitos homens tem com relação a sua companheira é terrível.

Homens ! Nunca digam MINHA MULHER e sim MINHA COMPANHEIRA, não deu certo o relacionamento? Simples , separa e cada um segue sua vida.

Vida que é independente, pois cada pessoa nasce do ventre da mãe, relacionamentos são apenas escolhas e na vida cada um tem suas próprias escolhas.

Vale lembrar que os casos de violência contra a mulher, tem acontecido no Brasil em diversas classes sociais. 

Muitos matam e dizem que foi por amor; NUNCA FOI AMOR, quem ama não agride e não tira a vida.


Que possamos viver numa sociedade com uma cultura do amor , paz e  tolerância.


Mulheres vítimas de violência: veja lista de serviços de apoio jurídico e psicológico gratuitos oferecidos na BA

As mulheres vítimas de violência doméstica e familiar contam com serviços que prestam apoio jurídico e psicológico gratuitamente em Salvador e cidades do interior baiano.

Veja a lista abaixo:

Delegacia Virtual

 

A Delegacia Virtual ampliou as opções de registros de ocorrências e incluiu violência doméstica contra mulher. As denúncias podem ser feitas pela internet, no site www.delegaciavirtual.sinesp.gov.br. A ferramenta é importante para vítimas que podem ter dificuldades para se dirigir até uma unidade física.

Centro de Referência de Atendimento à Mulher (CRAM)

 

Em Salvador e outros 30 municípios da Bahia, mulheres em situação de violência podem procurar o Centro de Referência de Atendimento à Mulher (CRAM), que oferece acompanhamento multidisciplinar com orientação jurídica.

Na capital, o CRAM é o Loreta Valadares, que presta serviço gratuito de acolhimento e atendimento à mulher em situação de violência. Lá, é oferecido acompanhamento interdisciplinar: psicológico, social, jurídico e de teleorientação, além do pedagógico para as crianças que acompanham as mães em atendimento.

A unidade fica na Praça Almirante Coelho Neto, nº 1, Barris (em frente à Delegacia do Idoso). O atendimento é feito das 8h às 18h e o telefone de contato é o (71) 3235-4268. Para cidades do interior é preciso acessar a lista e ver onde o serviço atende.

Nenhum comentário:

Postar um comentário