sábado, 25 de dezembro de 2021

Bolsonaro tem 48h para esclarecer ao STF seu desejo de expor nomes de técnicos da Anvisa

 

Bolsonaro tem 48h para esclarecer ao STF seu desejo de expor nomes de técnicos da Anvisa

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, estabeleceu o prazo de dois dias para que o  presidente Jair Bolsonaro (PL) se manifeste sobre um pedido para que ele seja investigado por suposta intimidação de servidores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

 

A decisão do ministro veio após a análise de um requerimento do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) que acionou o STF após o presidente defender em uma transmissão pela internet a divulgação dos nomes dos integrantes da Anvisa que aprovaram a utilização da vacina da Pfizer para crianças a partir de 5 anos.

 

Conforme divulgou o portal G1, além de Bolsonaro, o ministro do STF também determinou que o diretor-presidente da Anvisa, Antônio Barra Torres, preste explicações sobre os fatos. O despacho foi assinado na última quarta-feira (22).

 

No requerimento, o senador Randolfe Rodrigues ainda afirma que Bolsonaro "fez questão de propalar aos quatro ventos que não concordava com a decisão técnica da Agência, inclusive ameaçando os profissionais, integrantes do corpo técnico do órgão, que votarem peja aprovação do uso da vacina no público infantil".

 

Para ele,  a intenção do presidente "não é exatamente aquela mais alinhada à transparência no trato da coisa pública, mas a de constrangimento dos servidores e a de construção de um cenário de demérito à decisão da agência".

Nenhum comentário:

Postar um comentário