Últimas Notícias

Carro de Lula é cercado por manifestantes ao chegar para almoço; políticos repudiam intimidação

 


Caso ocorreu na entrada de um condomínio onde ex-presidente esteve durante visita a Campinas na quinta-feira. Lula não se feriu. Ciro Gomes e Marina Silva criticaram hostilização.


Um grupo cercou o carro do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o hostilizou enquanto ele chegava para almoçar em Campinas (SP) na quinta-feira (5). Ciro Gomes e Marina Silva repudiaram a situação nesta sexta (6).

O caso ocorreu quando o pré-candidato a Presidência da República chegava em um condomínio do bairro Gramado, área nobre de Campinas, para almoçar com o físico e professor emérito da Unicamp Rogério Cézar de Cerqueira Leite.

Segundo a assessoria de Lula, o carro foi cercado por moradores do condomínio ainda do lado de fora. Parte do grupo vestia camisetas verde e amarela e alguns estavam com a bandeira do Brasil. Lula não foi agredido e nem teve contato com o grupo, completou a assessoria.

Nas imagens, é possível ver que dois carros pretos foram cercados pelo grupo. Seguranças do ex-presidente, um deles com uma arma em punho, acompanharam. Um dos seguranças também retirou uma faixa crítica ao presidente que estava em uma caminhonete.

A Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP) informou que não há registro da ocorrência.


Repercussão


Marina Silva fez menção ao caso por meio do Twitter ao afirmar que a situação é "inadmissível" e se trata de "um ato de covardia".

"Inadmissível o que aconteceu nesta manhã em Campinas. Isso não é política. É um ato de covardia. Me solidarizo com o pré-candidato @lulaoficial. Não se pode permitir que a violência política integre o processo eleitoral como tática para chegar ao poder".


Já Ciro Gomes, pré-candidato à Presidência pelo PDT, repudiou o que definiu como "tentativa de agressão física a Lula, em Campinas, produzida pela militância raivosa e autoritária de Bolsonaro".

"Repudio a tentativa de agressão física a Lula, em Campinas, produzida pela militância raivosa e autoritária de Bolsonaro. Eu sei bem o que é isso porque fui atacado por uma corja bolsonarista, em Ribeirão, e por um grupamento radical de prováveis lulistas, na Paulista."


Agenda na região


Lula visitou a ocupação em fase de regularização Vila Soma, em Sumaré (SP), durante a manhã e início da tarde de quinta. Ao discursar para moradores, o pré-candidato afirmou que o presidente Jair Bolsonaro (PL) só atendeu aos próprios filhos e milicianos durante o mandato.


Em seguida, já em CampinasLula participou do almoço - quando houve a hostilização - e depois seguiu para uma reunião com políticos em um hotel. As duas agendas foram fechadas para imprensa.

Por fim, esteve na Unicamp, onde foi recebido por movimentos estudantis e sociais. O evento começou por volta de 16h, sem a presença do ex-presidente, e terminou às 21h40.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
header ads