sábado, 28 de março de 2020

Governadores a favor de isolamento crescem em popularidade; Bolsonaro cai nos números


Governadores a favor de isolamento crescem em popularidade; Bolsonaro cai nos números
Foto: Marcos Côrrea/PR
A popularidade dos governadores brasileiro nas redes sociais aumentou esta semana em meio a discussão sobre as medidas em meio a pandemia do coronavírus. Enquanto o índice medido pelos dados Quaest identificaram uma queda no nome do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), João Doria (PSDB-SP), Wilzon Witzel (PSC-RJ) e Flávio Dino (PC do B-MA) tiveram aumentos de busca na rede. 

O Índice de Popularidade Digital analisa publicações e acessos nas plataformas do Twitter, Facebook, Instagram, YouTube, Google Trends e Wikipedia e fazem uma medição de 0 a 100. Os políticos foram analisados durante um mês, entre os dias 25 de fevereiro e 25 de março, com as consequências da chegada da pandemia no país. 

Bolsonaro ainda lidera em popularidade, mas teve uma queda de 16,8% no índice, de 83,2 para 69,1. Já os governadores dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Maranhão tiveram aumento ao integrar a discussão sobre as melhores medidas para lidar com a contaminação no Brasil.   

Dória teve um aumento de 66,1%, saindo de 10,55 para 17,52; Dino alcançou 54,9%, variando de 12,74 para 19,73; e Witzel subiu 39,6%, de 9,76 para 13,62.

A variação dos dados no último mês, e principalmente na última semana, se dá pelos posicionamentos dos políticos diante das medidas sobre a Covid-19. O presidente Jair Bolsonaro é a favor de que as atividades no país voltem ao normal e que a reclusão seja feita apenas pelos grupos de risco, enquanto os governadores defendem o isolamento social, orientado pela OMS, para conter a rápida disseminação do vírus. 

O CEO da Quaest e professor de ciência política da UFMG, Felipe Nunes, comentou a variação dos dados analisados. “Antes esses governadores tinham destaque não independentemente, mas por conta do presidente. Agora estão construindo um capital político independente, estão ganhando musculatura digital própria”, explicou. Doria e Witzel foram eleitos apoiando o atual presidente. Esta semana, o tucano declarou à CNN que se arrependeu do voto a favor de Jair Bolsonaro nas eleições de 2018. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário