sexta-feira, 22 de maio de 2020

Governo Federal omite número de mortes em 'placar da vida' e foca em brasileiros 'salvos'



Na tentativa de mudar o foco da narrativa sobre o crescente número de mortos e registros da Covid-19, o governo federal tem promovido algumas mudanças nos suportes utilizados para divulgar os dados da pandemia. A divulgação das mortes há muito incomoda o governo Bolsonaro. Em abril, o  ministro-chefe da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, criticou os veículos de comunicação: "No jornal da manhã é caixão e corpo, no jornal meio dia é caixão e corpo, no jornal a noite é mais caixão e corpo".

No “Painel Coronavírus”, lançado pelo Ministério da Saúde ainda na gestão de Luiz Henrique Mandetta, um quadro em destaque tenta chamar atenção para o número de recuperados e casos em acompanhamento - ativos.

 A alteração passou a vigorar nesta quinta-feira (20). Em verde, o painel antecede dados como o número total de casos e os registros das últimas 24h, identificado como “casos novos”. Antecede ainda outro espaço onde é possível identificar o número de óbitos, totais e novos. Neste último, o título “Óbitos confirmados” é apresentando em leve tom de cinza. A fonte adotada também possui tamanho inferior ao das informações que o antecede. 


Já na rede social Twitter, desde terça-feira (19), outra mudança pôde ser observada. Um painel detalhado com informações gerais e relativo aos estados foi substituído por um “Placar da Vida”. Explorando tons de verde e amarelo, assim como a imagem da bandeira brasileira, o “card” entrega informações simplificadas, como “Infectados com coronavírus”, em substituição a expressão “casos confirmados”; “Brasileiros salvos”, em substituição ao termo “recuperados”, utilizado pela comunidade científica e a Organização Mundial de Saúde (OMS), e  por fim, “Em recuperação”, para dar conta dos casos ativos da doença. 


Na versão anterior, o perfil do Ministério da Saúde descrevia o total de casos confirmados, em acompanhamento, recuperados, óbitos e óbitos em investigação, além de uma planilha com números detalhados referentes a cada estado. A planilha, por sua vez, vinha acompanhada de um compilado dos registros das últimas 24h. 


As mudanças coincidem com a declaração do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em relação ao atual ministro interino da pasta, Eduardo Pazuello, substituto de Nelson Teich: “Vai ficar por muito tempo”, disse ontem (20) . Na função, Pazuello assinou a mudança no protocolo do ministério em relação ao uso da cloroquina em casos leves da Covid-19.

A eficácia da substância não possui reconhecimento científico, mas é defendida pelo presidente da República. Bolsonaro, reiteradamente, defende o fim do isolamento.  

Nesta quinta-feira (21), o Brasil registrou mais um recorde de mortes diárias , com 1.188 novos óbitos. O número total de vítimas fatais do novo coronavírus no país passou de 20 mil. O total de infectados pela doença já ultrapassou os 310 mil, tendo sido 18.508 novos casos nas últimas 24h. 
fonte: BN

Nenhum comentário:

Postar um comentário