segunda-feira, 31 de agosto de 2020

Defesa Civil de Salvador recebeu 22 telefonemas de pessoas relatando os tremores de terra

Defesa Civil de Salvador recebeu 22 telefonemas de pessoas relatando os tremores de terra
Foto: Ilustrativa

A Defesa Civil de Salvador (Codesal) recebeu 22 telefonemas da população pelo 199 e 156 relatando o tremor de terra ocorrido na manhã deste domingo (30) em cidades do Recôncavo na capital baiana, mas sem registro de ocorrências graves ou feridos.

Foram três do bairro de Daniel Lisboa, dois de Ondina, dois de Itapuã, três da Caixa D'água, um de Canabrava, um da Ribeira, um dos Barris um de Barreiras, um de Nazaré, um do Trobogy, um de Perrnambués, um de Mata Escura, um do Cabula, um do Cabula VI, um de Dom Avela e um do Arenoso, segundo registros até o período da tarde. A Codesal mantém plantão permanente para atender as emergências pelo telefone gratuito 199.

O terremoto, segundo registro do Laboratório de Sismologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), foi de magnitude 4,6, atingindo as regiões de Mutuípe, no Vale do Jiquiriçá, e Amargosa, no Recôncavo Baiano, na manhã deste domingo (30), impacto também percebido por moradores de Salvador.

Segundo o Instituto de Geociência da UFBA (IGEO) e a Sociedade Brasileira de Geologia, o tremor teve profundidade do foco de 10 km e, por ser raso, não atingiu magnitudes suficientes para provocar danos maiores.

De acordo com a diretora do IGEO, Olívia Oliveira, a área atingida se constitui em região propensa à ocorrência de sismos, cujos relatos de terremoto são descritos desde o século passado.

As rochas de grande dimensão da região possuem fraturas que resultam na movimentação de umas em relação às outras; quando isso ocorre, mesmo movimento de alguns centímetros, liberam muita energia que se transformam em vibração e som que são sentidos pela população, explica nota do IGEO e SBG.


BN

Nenhum comentário:

Postar um comentário