OLIMPÍADAS


sexta-feira, 2 de abril de 2021

Bolsonaro diz que espera que STF reveja decretos que proíbam cultos e missas


Bolsonaro diz que espera que STF reveja decretos que proíbam cultos e missas

O presidente Jair Bolsonaro comentou que espera que o Supremo Tribunal Federal reveja a decisão de estados e municípios que suspendeu os cultos e missas em meio a pandemia. A Advocacia Geral da União realizou pedido no STF contra a suspensão . O presidente participou da live nesta quinta-feira (1), e ao seu lado o ministro da Cidadania também teceu comentários durante a transmissão. 

 

"Não tem que mexer nisso. A liberdade de culto. Está na constituição. Espero que o Supremo reveja a decisão. O excesso de poder. O poder absoluto. Vemos cenas lamentáveis. Esses super poderes não é possível. Decretos mais restritivos que estado de defesa", comentou. 

 

Bolsonaro também confirmou que não comprou a vacina de forma antecipada. "Entre nós e a vacina existe a Anvisa. Não queria ser reponsável por comprar algo sem ter aprovação. Dizem para ter comprado antes. Se compra e não é aprovada? Teria que sofrer as consequencia. O Brasil é um dos 10 países, em número absolutos, que mais vacina. Queremos aplicar mais de um milhão de vacinas por dia", disse. 

 

O ministro da Cidadania ressaltou que estve em reunião com o ministro da saúde Marcelo Queiroga. "Parabenizei por aplicar nos profissionais de segurança. Pedi também para pedir para todos os do SUS. Além também dos profissionais das lotéricas. Já que estamos pagando o auxílio, eles estão nesse front. Ele animado, tratando de começar a aplicação", disse. 

 

FRAUDE NO AUXÍLIO

O minsitro da Cidadania, João Roma pontuou que quem recebeu o auxílio emergencial na primeira rodada, que devolva os valores ao governo de forma voluntária. 

 

"Aqueles que não devolveram, já estão sendo identificados. Já no imposto de renda já é notificado. Muitas operações da Polícia Federal estão em curso. É um crime nefasto. Quem receber, que de fato tenha consciência que faça a devolução. O auxílio gerou muitas informações. Fizemos alguns cruzamentos e agora vamos ter mais eficácia", disse. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário