OLIMPÍADAS


segunda-feira, 5 de julho de 2021

Líder em homicídios no último Atlas da Violência, Simões Filho reduz taxa em 2021


Líder em homicídios no último Atlas da Violência, Simões Filho reduz taxa em 2021

Após aparecer, em 2019, como quarta cidade mais violenta do Brasil no  Atlas da Violência, realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública , Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador, apresentou queda de 20% no número de homicídios no primeiro trimestre deste ano em relação ao mesmo período de 2020.

 

O mês de junho desde ano ainda teve redução de 70% no comparativo com o mesmo mês do ano passado. Em junho de 2021, foram registrados dois casos, contra oito no mesmo período de 2020, segundo dados da Secretaria da Segurança Pública do Estado (SSP).  

 

De janeiro a março de 2021, foram registrados 18 casos, contra 22 no primeiro trimestre de 2020.

 

"É uma redução muito expressiva e que reflete um trabalho integrado realizado entre diversas partes. Primeiro, é preciso parabenizar o esforço feito pelas forças policiais, que têm trabalhado de maneira firme no combate à criminalidade, atuando tanto na prevenção quanto no policiamento ostensivo", comemorou a deputada estadual Kátia Oliveira (MDB).
 

 

ATLAS DA VIOLÊNCIA
Na ocasião, o estudo se referiu a dados relativos a 2017. Simões Filho teve 163 homicídios, sendo 156 deles registrados e os sete restantes ocultos. Com isso, a cidade registrou uma taxa estimada de 119,9 assassinatos para cada 100 mil habitantes - naquele ano, a população do município era de 136.050 pessoas, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

 

No âmbito nacional, o município da região metropolitana teve a quarta maior taxa de homicídios, atrás apenas de Maracanaú (145,7), no Ceará; Altamira (133,7), no Pará; e São Gonçalo do Amarante (131,2), no Rio Grande do Norte.

 

No caso da Bahia, a análise das cidades com mais de 100 mil habitantes mostrou ainda que Porto Seguro e Lauro de Freitas compuseram o ranking das cidades com as maiores taxas em 2017. Em Porto Seguro, o Atlas contabilizou 152 assassinatos, numa taxa de 101,6 ocorrências. Já em Lauro de Freitas, que fica na Região Metropolitana de Salvador, 196 homicídios foram registrados, com taxa de 99,0.

 

Na ocasião, o governo da Bahia questionou o método da pesquisa, e indicou que o número de homicídios decresceu no estado


Foto: Lau Loko Assunção

Nenhum comentário:

Postar um comentário