OLIMPÍADAS


segunda-feira, 13 de setembro de 2021

Líder do PT na AL-BA descreve aprovação unânime de Pelegrino na CCJ como "singular"



 O deputado estadual Osni Cardoso (PT), líder da bancada do Partido dos Trabalhadores na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), descreveu como "singular" o fato da indicação de Nelson Pelegrino (PT) ao Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) ter sido aprovada por unanimidade na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa.

O plenário da Assembleia Legislativa do Estado da Bahia (AL-BA) deve chancelar o nome do atual  secretário estadual de Desenvolvimento Urbano, na próxima terça-feira (14)

A expectativa é que, a exemplo do que aconteceu na CCJ, o nome do petista seja aprovado com tranquilidade - uma vez que ele conta com o apoio declarado de parlamentares governistas e também da oposição.

"Acho algo singular para nós porque a indicação do Peregrino, por unanimidade na casa, foi algo diferenciado de muitas vezes do que a gente viu - quando há tensionamento ou outros desejos", opinou Cardoso na manhã desta segunda-feira (13).

Ele participa da entrega, pelo governo do Estado, da 21ª Policlínica Regional de Saúde, em Serrinha, Sisal. Na avaliação do deputado, o atual secretário reúne as condições necessárias, técnicas e políticas,  para assumir o posto.

Se for aprovado, Pelegrino ocupará a vaga que era do conselheiro Paolo Marconi - que se aposentou no último dia 19 de agosto. "Ele é um estudioso da área, advogado há décadas. Um cara que sonha em ter um tribunal que amplie o diálogo e facilitar a vida do gestor", disse o parlamentar, que é ex-prefeito de Serrinha por dois mandatos seguidos.

Ele também comentou pedido liminar da Associação de Servidores do Tribunal de Contas dos Municípios, acatado pela justiça, para suspender a posse de Pelegrino como novo conselheiro do órgão. O presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Adolfo Menezes (PSD) , recorreu da decisão

"É normal, é o desejo do pessoal da associação de ter um servidor. Mas há um regramento, uma tradição nesta coisa das indicações e não vão mudar agora", avaliou.

Suspensão

Outro item na pauta da sessão extraordinária da AL-BA da tarde desta terça será a votação da suspensão temporária, por 30 dias, do deputado estadual Capitão Alden (PSL). 

No último dia 11 de agosto, a Mesa Diretora da Casa aprovou   o parecer do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar, que sugeriu que o bolsonarista ficasse afastado de suas atividades parlamentares por um mês.
 
Cardoso acredita que há exagero do parlamentar em algumas atitudes do colega, e que cabe a Casa se posicionar, para dar "um fim" a condutas que ele julga inadequadas. 

"Cedo ou tarde, a Casa tem de dar uma resposta sobre isso. Não dá para toda hora um deputado sair se posicionando e muitas vezes ofendendo seus colegas. Isso não está normal, não é o que se espera", afirmou. 

Em abril deste ano, durante uma transmissão ao vivo nas redes sociais, Alden acusou o grupo de oposição da AL-BA de receber uma espécie de propina no valor de R$ 1,6 milhão da prefeitura - sem apresentar quaisquer provas. A ação levou os parlamentares a acionarem o Conselho de Ética, e a Justiça, contra Alden. 

O líder da bancada do PT também negou que partido tenha articulando uma punição mais rígida ao bolsonarista, que, no último dia 25 de agosto, esteve em atos realizados no auditório da AL-BA durante evento com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para provocar manifestantes.

Para Cardoso, o parlamentar que faz algo do tipo "não se respeita como tal". "Se qualquer outra figura política tivesse aparecido lá, nenhum dos nossos deputados teria ido lá afrontar ninguém. Uma coisa é a gente fazer manifestação, ter lugar na manifestação, outra é querer afrontar militante", comparou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário